Duas defesas fantásticas de Ederson nos minutos finais do dérbi de Manchester garantiram ao City uma preciosa vitória em casa do rival United, em jogo da 16.ª jornada da Premier League. Com esta derrota, Mourinho vê a sua equipa mais longe do primeiro lugar já que o City de Guardiola passa a ter mais 11 pontos, na liderança. A formação de Guardiola tem 15 vitórias e um empate em 16 jogos.

No dérbi dos 800 milhões de euros (valor que custou os dois planteis), o Manchester City dominou grande parte do jogo e teve as melhores oportunidades. Mesmo a jogar em casa, Mourinho optou por não arriscar muito, colocando no City a responsabilidade da iniciativa de jogo. Gabriel Jesus teve as primeiras oportunidades, mas não soube aproveitar.

A pressão do City, sempre melhor com bola, ia atirando o United cada vez mais para perto da sua área. De Gea foi chamado a intervir aos 42 minutos para negar o golo a Sané, com uma grande defesa. Mas o guarda-redes espanhol nada pode fazer quando, aos 43, o seu compatriota David Silva aproveitou um ressalto na área após canto para fazer o 1-0.

A pressão dos ´citizens` dava resultado, mas mesmo antes do final do primeiro tempo, um erro de Fabian Delph vai permitir a Rashford empatar. O lateral não cortou uma bola longa, esta sobrou para avançado que bateu Ederson.

Empate lisonjeiro para a equipa de Mourinho, face ao que o City tinha produzido.

O segundo tempo arranca praticamente com o golo que vai dar a vitória ao Manchester City. Lukaku tentou afastar uma bola após canto, esta bateu nas costas de Smaling e foi ter com o central argentino que só teve de empurrar para dentro da baliza. Por esta altura já o City jogava só com um central, já que Kompany tinha dado o seu lugar a Gundogan. No United Lindelof tinha entrado para o posto de Marcus Rojo.

Com o golo, Guardiola aproveitou para refazer a defesa, fazendo entrar Mangala para o posto de Gabriel Jesus.

Com o tempo, os citizens passaram a apostar mais no contra-ataque e tiveram muito espaço para marcar, mas os homens da frente nem sempre decidiam bem. Do outro lado, quando o United conseguia furar a defensiva do City, aparecia Ederson a brilhar, como fez aos 76 minutos, negando o golo a Rashford.

Nos minutos finais Mourinho arriscou tudo, lançando Ibrahimovic para fazer dupla com Lukaku mas o sueco não teve bola.

Os minutos finais foram frenéticos, com lances de perigo de um lado e de outro. Primeiro foi Herrera a pedir penálti num lance com Otamendi mas o árbitro entendeu que foi simulação e mostrou-lhe amarelo.
Aos 86 Ederson mostrou porque é um dos melhores guarda-redes da atualidade: negou o golo a Lukaku e Mata em dois remates à queima-roupa, com duas defesas fantásticas. Já nos descontos, Bernardo Silva (entrou na parte final do jogo) podia ter inscrito o seu nome nos marcadores, mas, isolado por Kevin De Bruyne, perdeu imenso tempo a decidir e quando rematou já tinha De Gea ´em cima`.

O Manchester City continua invicto na Premier League onde soma apenas um empate em 16 jogos. A equipa de Guardiola tem 46 pontos, mais 11 que o Manchester United de Mourinho. O terceiro posto é do Chelsea que tem 32. O Liverpool é quarto com 30.
Esta foi uma ronda muito boa para Guardiola já que os concorrentes perderam pontos: Arsenal e Liverpool empataram, Chelsea e United perderam.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.