“Estou incrivelmente satisfeito e honrado por ser o novo proprietário do Liverpool”, declarou em Londres o empresário John W. Henry, igualmente dono da equipa norte-americana de basebol Boston Red Sox.

John W. Henry recordou que a empresa que representa tem uma história “feita de sucessos” e que o seu principal objectivo, a curto prazo, é “devolver ao Liverpool a grandeza e honra de outros tempos”.

A venda do Liverpool surge após os anteriores co-proprietários, os norte-americanos Tom Hicks e George Gillett, terem levantado a ordem de restrição que bloqueava a venda do clube, colocando termo a uma longa batalha jurídica.

Na quinta-feira, o tribunal superior de Londres rejeitou a tentativa de bloqueio da venda do Liverpool por parte dos seus proprietários, ao julgar inválida a providência cautelar interposta por George Gillett e Tom Hicks num tribunal texano.

O juiz Christopher Floyd considerou “desprovido de escrúpulos” o comportamento dos donos do clube, que tinham interposto a providência cautelar num tribunal de Dallas.

O Liverpool, clube com maior número de títulos de campeão inglês de futebol (18), está a protagonizar o seu pior arranque de campeonato desde 1953, ao ocupar a 18.ª e antepenúltima posição, após sete jornadas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.