Dejan Kulusevski esteve num podcast sueco, 'DÅ ÄR VI IGÅNG', onde explicou o falhanço escandaloso na última ronda da Premier League 2021/22. O extremo sueco do Tottenham detalhou tudo o que aconteceu na jogada e todas as decisões tomadas, num golo que parecia fácil mas que acabou por não acontecer.

Na altura, o seu colega Son Heung-min lutava pelo título de melhor marcador da Premier League com Mohamed Salah (o egípcio tinha mais um que Son, antes da última jornada), do Liverpool, pelo que os jogadores do Tottenham combinaram entre eles que iriam ajudar o sul-coreano a marcar o máximo número de golos possíveis na derradeira ronda, diante do já despromovido Norwich City.

Son marcou dois frente aos 'canários', Salah marcou um ao Woverhampton e ambos acabaram premiados com o troféu de Melhor Marcador da prova, com 23 golos cada. Mas tudo teria sido diferente, se Dejan Kulusevski tivesse colaborado.

Aos 62 minutos do jogo frente ao Norwich, quando o Tottenham vencia por 2-0, o sueco teve tudo para marcar ou servir Son mas acabou por não fazer nem uma coisa nem outra.

"Dois minutos depois do meu 1.º golo, aconteceu algo estranho. Apareci solado frente ao guarda-redes, muita coisa aconteceu. Um adversário tentou derrubar-me mas consegui escapar-me e ficar sozinho com o guarda-redes. Pensei, 'Devo cair? Se cair, ele [defesa] será expulso'. Mas pensei, 'Não, tenho de marcar, claro'. Então vi que o guarda-redes deles saiu mas hesitou um pouco e aí percebi que ia chegar primeiro a bola. Corri, passei por ele e fiquei com a baliza aberta. Então pensei,' Pah, isto é estranho, não quero marcar de baliza aberta'. E tinha os adeptos ali ao lado, a gritar, 'Chuta, chuta'. E eu, 'respira fundo, calma, leva o tempo que quiseres, tens a baliza deserta'. Estava a olhar para a baliza, que estava mesmo sem ninguém, mas dei mais um toque na bola. Depois pensei, 'se calhar agora é hora de rematar'. Mas depois vi o Son, meu colega de equipa. E ele, 'passa-me a bola'. O Son precisava de um golo para vencer a Bota de Ouro. E todos tínhamos concordado antes do jogo que tínhamos de passar ao Son para ele marcar e ganhar a Bota de Ouro", começou por explicar o sueco.

"Então pensei, 'Dejan, esquece o golo, tens de passar ao Son. E passei a bola mas quando tentei o passe, o meu pé ficou preso na relva. Então acabou por se tornar num mau passe e a bola foi devagarinho para a baliza e um defesa chegou antes e afastou-a. Então estava ali sozinho a pensar, 'Meu, mas que c@r@#h0 fizeste'? Pensei, 'és um idiota'. Senti-me muito envergonhado", explicou.

A verdade é que dois minutos depois, Kulusevski marcou, bisou no encontro, e ainda foi a tempo de ver Son marcar dois golos, para fazer o 5-0 final. Kane tinha marcado o outro golo do Tottenham.

"Estava tão frustrado que, dois minutos, pedi a bola na área, não pensei muito e rematei ao ângulo", finalizou.

O pânico de ter a baliza aberta e a vontade em ajudar Son acabou por levar Kulusevski a um dos falhanços mais escandalosos do ano na Premier League.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.