A Premier League anunciou um total de 36 positivos para COVID-19 após testes realizados na semana passada, o que representa uma ligeira diminuição em comparação aos infectados nos sete dias anteriores.

Os calendários da Premier League e da FA Cup, os dois principais torneios da Inglaterra, sofreram alterações devido a um forte aumento dos positivos nos últimos 15 dias, relacionado com a descoberta de uma nova variante do vírus, muito mais contagiosa, naquele país.

Isso levou o governo britânico a decretar um novo confinamento geral.

Pouco antes deste anúncio, foi relatada a suspensão do jogo da 18ª ronda da Premier League entre Aston Villa e Tottenham marcada para a próxima quarta-feira, após nove jogadores e cinco membros da equipa técnica do clube de Birmingham testarem positivo para a COVID-19.

Os 'Villans' já tinham sido forçados a jogar com os sub-23 na última sexta-feira contra o Liverpool, pelos 32-avos de final da Taça de Inglaterra e que terminou com a derrota do Aston Villa por 4-1.

A Premier League, que tornou mais rígidos os protocolos para combater a COVID-19 de acordo com os 20 clubes da primeira divisão, alertou que seria mais severo com os jogadores que quebrassem as regras.

Mas as vozes também começaram a levantar-se contra a continuação da prova nessas condições.

"Financeiramente, é bom continuar a jogar, mas para mim, moralmente, provavelmente é algo que não devia acontecer", disse o técnico do Newcastle, Steve Bruce, na sexta-feira, cujo clube foi o primeiro a pedir o adiamento de uma partida do campeonato e teve que fechar o seu centro de treinos no início de dezembro como resultado dos inúmeros casos positivos no plantel.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.