O Manchester United goleou, este sábado, em Newcastle por 4-1, na quinta jornada da Liga inglesa de futebol, mas esteve a perder e virou o resultado, com Bruno Fernandes a marcar, após falhar um penálti.

Os ‘red devils', que vinham de uma derrota traumática em Old Trafford por 6-1 frente ao Tottenham, de José Mourinho, começaram o jogo praticamente a perder, culpa de um autogolo de Luke Shaw, logo aos dois minutos, num lance de clara infelicidade.

No entanto, a equipa não acusou o golpe, foi ‘para cima' do Newcastle e, aos 23 minutos, o central Harry Maguire restabeleceu o empate, de cabeça, na sequência de um pontapé de canto.

O intervalo chegou com um empate injusto para os ‘red devils', que, aos 58 minutos, e após uma falta sobre Marcus Rashford na área, poderiam ter chegado ao segundo golo, só que Bruno Fernandes falhou o seu primeiro castigo máximo pelo United.

Não obstante, o médio português acabaria por ser decisivo, ao marcar o segundo golo, aos 86 minutos, numa execução de classe ao colocar a bola no ângulo superior direito da baliza de Karl Darlow, numa jogada de contra-ataque, a passe de Rashford, já com pouco ângulo de remate.

O Manchester United acabaria por materializar a sua supremacia nos derradeiros minutos, com mais dois golos, aos 90, pelo lateral direito, Wan-Bissaka, assistido por Rashford, mais uma vez, e aos 90+6, pelo próprio internacional inglês que também uma das figuras do jogo, na sequência de um passe de trinta metros magistral de Bruno Fernandes a isolá-lo.

Entretanto, o Manchester City regressou aos triunfos ao vencer por 1-0 o Arsenal, em vésperas de receber o FC Porto, para a Liga dos Campeões.

Com os internacionais portugueses Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva de início, após terem estado ao serviço da seleção nacional, os ‘citizens' chegaram ao tento da vitória aos 23 minutos, por intermédio de Raheem Sterling, em recarga a um remate defendido por Bernd Leno.

O City, que vinha de uma derrota pesada com o Leicester (5-2) e um empate com o Leeds (1-1), retomou o caminho das vitórias na ‘Premier League', antes de receber, na quarta-feira, o FC Porto, na partida da primeira jornada do grupo C da ‘Champions'.

A equipa comandada por Pep Guardiola está no 10.º lugar, com sete pontos, ao passo que o Arsenal é quinto, com nove, tendo falhado a subida ao segundo posto e a aproximação ao líder Everton, que empatou 2-2 com o Liverpool, no dérbi de Merseyside.

Os campeões ingleses marcaram logo aos três minutos, por intermédio do senegalês Sadio Mané, mas, logo de seguida, ficaram privados de Virgil van Dijk, na sequência de uma entrada muito dura do guarda-redes do Everton, Jordan Pickford, que só não foi sancionada com uma grande penalidade porque o internacional holandês estava em fora de jogo no início da jogada.

Os 'toffees', que contaram com o internacional português André Gomes entre os titulares, chegaram ao empate aos 19 minutos, por Michael Keane, só que, no segundo tempo, o egípcio Mohamed Salah recolocou o Liverpool em vantagem, aos 72, marcando o 100.º golo em 159 jogos realizados pelos 'reds', desde que, em 2017, foi contratado à Roma.

Já com o internacional luso Diogo Jota em campo, o Liverpool viu o rival chegar novamente à igualdade, aos 81 minutos, através de Dominic Calvert-Lewin, que leva seis golos na prova e divide a liderança dos melhores marcadores com o sul-coreano Son Heung-Min, do Tottenham.

Aos 90+2 minutos, os 'reds' ainda festejaram o golo que lhes daria o triunfo, apontado pelo 'capitão' Jordan Henderson, mas o lance foi anulado com recurso ao vídeoarbitro (VAR), numa decisão que deixou muitas dúvidas.

O Everton cedeu os primeiros pontos na 'Premier League', mas continua a liderar a prova, com 13 pontos, mais três do que o Liverpool, segundo colocado, que poderá ser ultrapassado por Aston Villa ou Leicester, ambos com nove, e que se defrontam no domingo, enquanto o Manchester United segue na 14ª posição, com seis pontos.

Já o Chelsea, esteve a poucos minutos de alcançar a segunda vitória seguida e subir aos lugares cimeiros, mas acabou por ceder o golo do empate (3-3) com o Southampton aos 90+2 minutos, da autoria do dinamarquês Jannik Vestergaard.

Os ‘blues' estiveram em vantagem por 2-0 e 3-2, com golos dos alemães Timo Werner, aos 15 e 28 minutos, e Kai Havertz, aos 59, com os ‘saints' chegaram ao 2-2, por intermédio de Danny Ings, aos 43, e Charlie Adams, aos 57.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.