O anúncio do sucessor do treinador de futebol do Manchester United, Alex Ferguson, poderá ser feito esta tarde ou nos próximos dias, avançou hoje a estação Sky.

David Moyes, treinador do Everton há 11 anos, é apontado pela Sky e pelo Daily Telegraph estando na "pole position" para suceder ao escocês, cuja aposentação foi hoje anunciada.

O antigo guarda-redes dos "Red Devils" Peter Schmeichel enumerou à Sky Sports alguns dos pontos a favor do favorito: "É escocês, é feito da mesma fibra que Sir Alex e é um tipo de pessoa para quem se olha se pensa 'estabilidade'".

Porém, o português José Mourinho, cuja saída do Real Madrid e regresso ao Chelsea tem sido fonte de boatos, continua a ser outros dos principais candidatos referidos na imprensa britânica.

Embora os rumores de um possível abandono de Ferguson do lugar se tenham intensificado na terça-feira, nenhum dos principais diários o destacou na respetiva primeira página.

A iminência de uma operação à anca do septuagenário (71 anos), o silêncio do clube sobre a situação e a redução das probabilidades sobre sucessores pelas casas de apostas alimentou a especulação na imprensa.

Mas só confirmação, feita pelo clube inglês em comunicado hoje de manhã, fez do anúncio a abertura dos canais televisivos de notícias e das páginas de internet dos jornais.

Os tablóides Daily Mail e o The Sun destacam a saída do «mais vitorioso treinador do Reino Unido», enquanto o The Times e o Evening Standard dão ênfase às palavras de Ferguson: «É a altura certa».

O Daily Mirror resume 27 anos de Ferguson enquanto treinador: «1499 jogos, 49 troféus e ausência em 17 jogos devido a castigo».

A aposentação de Ferguson, cuja personalidade alguns comentadores dizem transcender o futebol, foi comentada ao mais alto nível.

«Os feitos de Sir Alex Ferguson no Manchester United foram excecionais. Espero que a sua saída torne a vida mais fácil à minha equipa Aston Villa», comentou o primeiro-ministro, David Cameron, através do Twitter.

O secretário de Estado do Desporto, Hugh Robertson, saudou o sucesso internacional dos "red devils".

«O seu entusiasmo pelo nosso desporto nacional não tem fronteiras e dou-lhe os parabéns pela impressionante carreira como treinador», afirmou.

O presidente executivo do Manchester United, David Gill, também teceu elogios, mas também tentou acalmar os adeptos.

«Sabíamos que este dia chegaria e temos estado a preparar-nos», afirmou ao canal do clube MUTV, anunciando «uma nova era».

O último jogo no comando da equipa de Ferguson, que passará a ter um lugar na administração do clube, será a 19 de maio, no campo do West Bromwich.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.