O Swansea de Carlos Carvalhal e Renato Sanches colocou um ponto final nos 19 jogo sem perder do Liverpool - a melhor série de invencibilidade de Klopp em Anfield Road - graças a um golo de Alfie Robert John Mawson. A derrota frente ao ´lanterna vermelha` da Premier League é tudo menos casual. Nenhuma equipa venceu mais vezes os ´reds` em Inglaterra, desde a chegada de Jurgen Klopp ao Liverpool. Foram três derrotas aplicadas pelo clube do País de Gales aos ´reds`.

E tão pouco é casual o facto de o jogo ter sido decidido por Mawson. O poderio aéreo deste promissor central inglês, antigo internacional sub-21, é brutal: desde que chegou ao Swansea, Mawson marcou nove golos em 63 jogos.

Alfie Mawson e Carlos Carvalhal
Alfie Mawson e Carlos Carvalhal

Mawson: de vendedor de frutas até a Premier League

Mas o que chama mesmo a atenção é a forma como Mawson foi subindo na careira até chegar a Premier League. Em Brentford, onde foi formado, nunca lhe deram uma oportunidade para mostrar o seu valor. Acabou por ser emprestado em seis ocasiões (três vezes ao Maidenhead United e uma ao Luton Town, Welling United e Wycombe Wanderers), antes de assinar pelo Burnsley, na época 2015-2016. Mas antes de ingressar no Brendford, tinha passado também pelos escalões de formação do Reading.

No Burnsley as coisas não podiam ter corrido melhor: marcou nove golos em 63 jogos, subiu com o clube para o Championship, e venceu a 'Football League Trophy', a 'FA Cup` dos clubes modestos. Fez apenas quatro jogos no Championship com o Burnsley, o suficiente para convencer o Swansea a pagar seis milhões de euros para contar com os seus serviços, na época 2016/2017.

Agora mede forças com os craques da Premier League, algo que nunca subiu à cabeça de Alfie.

"Há três anos, quando estava cedido ao Maidenhead, da sexta divisão do futebol inglês, inscrevi-me em várias agências de trabalho. Tinha que ser realista: muitos jogadores nessa liga trabalham a tempo parcial", recordava o central de 24 anos, depois de fazer a sua estreia na Premier League frente ao Watford (0-0) e ser eleito ´Melhor em Campo`.

Depois de tanto procurar, finalmente Alfie encontrou trabalho, sem ter de sair de casa: "Depois dos treinos, comecei por ajudar o meu pai, Garry, que tem uma banca de frutas e legumes no mercado de Ealing [em Londres]. Era algo normal. E graças a isso, agora quando olho para trás e penso no que podia ter sido, aprecio ainda mais o que consegui na carreira", explicou o jogador, citado pelo jornal espanhol Marca.

As suas raízes humildes sobressaem quando o assunto é ajudar. Longe de se envergonhar com o seu passado, o jovem defesa central mostra-se orgulhoso das suas raízes. "Adorava ajudar o meu pai. A ética do trabalho ajuda-te a alcançar coisas melhores. Deves ser sempre humilde, não importa o quão alto estás", atirou.

Ajudar está-lhe no sangue

Uma filosofia de vida que o levou a unir-se ao ambicioso projeto solidário liderado por Juan Mata, através do ´Common Goal`, e doar um por cento do seu salário para fins solidários.

"Estou numa grande posição. Não quero nenhum escândalo ou algo do género, mas unir-me ao projeto ´Common Goal` permite-me concentrar-me na minha carreira, fazendo parte de algo que realmente pode ajudar a transformar a vida dos mais necessitados. É algo bom para o futebol", explica.

Alfie Mawson festeja golo pelo Liverpool
Alfie Mawson festeja golo pelo Liverpool

Além de ter marcado o golo da vitória do Swansea ante o Liverpool (o seu segundo golo na Premier League), Mawson foi eleito ´Melhor em Campo`, após conseguir seis roubos de bola, realizar duas interceções e bloquear cinco remates dos adversários. As suas boas exibições transformaram-no num dos indiscutíveis dos ´swans`. Fez todos os minutos dos últimos 48 jogos do clube na Premier League, apesar de, nesse período, ter passado cinco técnicos pelo Swansea: Bob Bradley, Alan Curtis, Paul Clement, Leon Britton e Carlos Carvalhal.

No Swansea já olham para Mawson como legítimo sucessor de Ashley Williams. E é muito mais o que os une do que os separa. Mawson herdou o número seis do agora jogador do Everton, que também tem origens muito humildes. Williams trabalhou num posto de combustível e também num parque temático, antes de começar a subir na carreira até chegar ao Swansea e subir com o clube desde a League One até a Premier League.

Apesar da vitória, o Swansea de  Carvalhal e Renato Sanches continua na cauda da tabela.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.