Depois de ter saído do Chelsea para o New York City dos Estados Unidos e ter assinado por empréstimo com o Manchester City, Frank Lampard revelou que, se pudesse, teria ficado mais um ano no Chelsea. O médio inglês afirmou que conversou com Mourinho antes de sair e que não há ressentimentos.

“Tinha, obviamente, ficado no Chelsea se o clube me tivesse oferecido mais um ano de contrato. É verdade que queria jogar com mais regularidade, mas, se o Chelsea me oferecesse um novo contrato, seria louco se não aceitasse. Se pensasse que não conseguia jogar, não teria ido para o Manchester City por empréstimo.

Conversei com José Mourinho e, tanto ele, como o clube, foram sempre fantásticos comigo. Não saí ressentido, nem com ele, nem com o clube”, disse em declarações ao The Sun.

De fora, Lampard disse que não queria desaparecer do futebol inglês aos poucos e que não iria para o Manchester City se não tivesse a certeza de ser uma hipótese válida. “O Chelsea teve um grupo de jogadores que continuou a ganhar títulos apesar das entradas e saídas de jogadores, mas isso não ia durar para sempre. Decidi que não queria ser o jogador que vai desaparecendo, por isso, talvez tenha sido a altura certa (para sair). Não queria ser o jogador de 40 anos que aparece nos jogos da Taça da Liga, não após os grandes momentos que vivi no clube. Agora, quero ter um impacto positivo no Manchester City e nesta nova fase da minha carreira”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.