O treinador do Everton, Carlo Ancelotti, e os jogadores da equipa principal de futebol aceitaram baixar os salários, a fim de ajudarem o clube a ultrapassar as dificuldades financeiras motivadas pela pandemia de covid-19.

“Todos aceitaram baixar ou adiar o recebimento do salário. Gostaria de lhes agradecer a demonstração de integridade e sentido de dever na ajuda à família do Everton durante este período complicado”, afirmou a diretora-geral, Denise Barrett-Baxendale, em carta enviada hoje aos adeptos.

A dirigente do clube de Liverpool precisou que Ancelotti, que assinou em dezembro de 2019 um contrato de quatro épocas e meia com o Everton, aceitou baixar o salário até 30%, tal como a restante equipa técnica.

O Everton, no qual alinha o médio internacional português André Gomes, ocupava a 12.ª posição no campeonato inglês quando a prova foi suspensa devido à pandemia, estando o regresso previsto para a próxima semana.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 408 mil mortos e infetou mais de 7,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

O Reino Unido é o segundo país com maior número de mortos (40.883 mortos), depois dos Estados Unidos, além de registarem mais de 289 mil casos confirmados de infeção.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.