O estádio de Old Trafford vai receber no domingo (16h30), o último frente a frente entre José Mourinho e Arsène Wenger - que deixará o clube no final da época após 22 anos no comando técnico. O treinador francês admite que teve uma relação difícil com o português, mas garante que os limites nunca foram ultrapassados.

"É semelhante ao que acontecia com Ferguson: uma relação tensa, como acontece sempre que se luta pelos mesmos objetivos, mas no geral com respeito", começou por dizer Wenger.

"Às vezes, nas conferências as declarações são tiradas do contexto e depois as pessoas atingidas ficam chateadas. É muito difícil manter a calma mas com o passar do tempo o respeito prevalece sempre. Sabem porquê? Porque todos sofremos desgostos, desilusões e todos sabemos do nosso sofrimento. E há sempre repeito pelas pessoas que sofrem, a não ser que não sejas um ser humano. Há empatia pelas pessoas que têm o mesmo trabalho que tu", acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.