Arsène Wenger confirmou na sexta-feira que vai abandonar o Arsenal no final desta temporada, 22 anos depois de ter assumido o controlo dos 'Gunners'. O técnico abordou esta questão depois do jogo com o West Ham e confessou que a contestação dos adeptos nas últimas épocas pesou na esta decisão de deixar o clube londrino.

"Pessoalmente sinto que este clube é mais respeitado lá fora do que em Inglaterra. Os nossos adeptos não projetaram aquela imagem de união que quero que exista no clube. Magoaram-me", afirmou Wenger.

"Não guardo mágoa nem quero capas de jornais incendiárias. Sinto apenas que os adeptos não estavam contentes e entendo isso, tenho que o respeitar", acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.