Antepenúltimo classificado da Premiership, o clube londrino tem uma dívida de 125 milhões de euros, um montante que poderá tornar-se ainda mais insustentável caso seja despromovido (conseguiu apenas seis pontos nos últimos 30 possíveis).

"Vamos pedir a toda a gente do clube que assuma de forma voluntária uma redução salarial", revelou David Sullivan, co-proprietário do West Ham.

O treinador dos "hammers", o italiano Gianfranco Zola, não fica fora do apelo: "Está muito bem pago. Aliás, acho que todos os treinadores da Premier League recebem salários excessivamente altos".

Sullivan acrescenta que qualquer elemento descontente com a petição é livre de abandonar o clube.

"Não importa a perspectiva. É tudo um excesso. Paga-se demasiado a toda a gente, tendo em conta o trabalho realizado. O clube está a pagar a factura de 110 telemóveis e há um grupo menor de pessoas com 'blackberrys" (telefone inteligente)", criticou.

David Sullivan e David Gold, que deixou o Birmingham em Novembro, assumiram o controlo do West Ham em Janeiro, quando compraram metade das acções do clube.

Ambos já colocaram por várias vezes em evidência a gravidade financeira do clube: "Não posso acreditar nos contratos que herdámos. Tudo no clube é um desastre e todos devemos colaborar. Se descermos de divisão, nem sequer quero imaginar a situação".

O dono do clube disse ainda que os despedimentos no West Ham ainda não acabaram, pois "há demasiada gente, pessoas a treinar que nem sequer sabem o que fazem".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.