O futebolista costa-marfinense Yaya Touré foi proibido de conduzir durante 18 meses, por dirigir embriagado, e condenado a pagar uma multa de 64.600 euros, escreveu hoje o jogador do Manchester City na rede social Facebook.

“Nas últimas duas semanas, houve uma confusão sobre o motivo pelo qual fui acusado de conduzir sob o efeito de álcool, mas é sabido que sou muçulmano e não bebo”, informou o médio, que foi mandado parar na zona este de Londres, no mês passado.

Touré, de 33 anos, admitiu que não consumiu álcool de forma intencional e lembrou que, em eventos, recusa sempre bebidas alcoólicas devido à sua religião.

“Sempre recusei álcool. Quem me conhece sabe que recuso sempre champanhe na galas de 'Melhor Jogador' por causa do meu compromisso religioso. No entanto, foi importante para mim dizer em tribunal que não consumi álcool intencionalmente”, referiu.

O costa-marfinense, que foi reintegrado no início do mês no plantel do Manchester City, garantiu que o consumo de álcool não passou de um acidente.

“Conduzir ébrio é um crime grave e, mesmo que eu não tenha consumido álcool intencionalmente, aceito a pena e peço desculpa pela situação”, concluiu o jogador, quatro vezes eleito jogador africano do ano.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.