Yaya Touré não está satisfeito com a sua carreira em Inglaterra. Em entrevista ao jornal francês L´Equipe, o astro do Manchester City diz-se infeliz com o futebol e com a forma como é tratado em Inglaterra.

"Como ganhei muitos títulos e muito dinheiro, as pessoas pensam que sou feliz, mas não sou. Na época passada estive fora durante dois meses e aproveitaram para me criticar por não estar a marcar tantos golos como na época anterior. Em Inglaterra, quando jogas mal, és notícia. Quando jogas bem, passas ao lado", começou por dizer o médio internacional pela Costa do Marfim.

O jogador acusa também a imprensa inglesa de não lhe dar o devido valor.

"Quando cheguei do Barcelona, em 2010, ouvi dizer que ia matar o futebol. Os jornalistas falaram muito do meu ordenado, mas eu cheguei para ajudar este clube a crescer e a vencer títulos. Muitas pessoas, que eu chamaria imbecis, riram-se de mim quando disse isso. Questionaram o que eu poderia acrescentar ao City. Viram o que aconteceu a seguir? Vencemos praticamente tudo", vincou.

Mas não foi só em Inglaterra que Yaya Touré foi maltratado. O jogador sublinhou que também no seu país, a Costa do Marfim, não é valorizado. E deixa um desabafo: não quer os seus filhos a seguirem a carreira do pai.

"Disseram que me zanguei com o Didier [Drogba], com o Zokora, até com o Kolo, meu próprio irmão... e denegriram-me, até com canções. Políticos insultaram-me. Isso magoa. Não quero os meus dois filhos no futebol. Não quero que passem por tudo o que passei", atirou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.