Rui Vitória, técnico que deixou o Benfica e está de partida para a Arábia Saudita para treinar o Al Nassr, concedeu entrevista à TVI 24.

O treinador garante que a decisão de sair do Benfica foi tomada em conjunto com Luís Felipe Vieira, isto depois de ter posto o seu lugar à disposição. Vitória destacou ainda a falta de apoio da direção em determinados momentos.

O que correu bem?

"Correu muita coisa bem. Ao fim destes três anos e meio, houve aspetos menos positivos, mas também positivos que têm de ser realçados. Deixou-me um grande orgulho e na altura aos benfiquistas também.

O que não correu bem

Tentámos levar este barco a bom porto, houve vontade das duas partes para conseguir o trabalho que tínhamos pensado, mas nesta fase final havia desgaste. Era um desgaste generalizado. Já tinha falado com o presidente para pensar na melhor solução. Em conjunto inicialmente pensámos na continuidade e depois chegámos a esta decisão. Pus o lugar à disposição. Foi um acordo das duas partes, mas eu coloquei o presidente à vontade para decidir. Entendemos que era terminar o ciclo e seguir caminho".

Se fosse teimoso continuava?

"Isso não sei. Teríamos que perguntar ao presidente. Naquele momento entendemos que era a melhor solução e acho que foi."

Acordo para a saída

"A saída do Benfica foi um acordo em duas partes"

Menos apoio na fase final

"Na parte final do Benfica senti-me menos apoiado pelo clube. Independentemente do que se passava tinha que ser o comandante da equipa".

Desgaste

"É natural que haja algum desgaste, andámos com menos sentido de união nesta última fase [nesta época].

Voltar ao Benfica

"Sou profissional, terminou este ciclo. O futuro a Deus pertence. Admito claramente voltar ao Benfica".

Recomendações ao Benfica no futuro

"Recomendaria ao Benfica que desse mais proteção a um treinador. O treinador é a cara do clube.

Menos tolerância do benfiquista

"O benfiquista tem menos tolerância e percebemos que não havia motivos para prolongar a situação".

Sai magoado com o Benfica?

"Eu não saí magoado com o Benfica. Senti-me magoado em determinados momentos".

Relação com Luís Filipe Vieira

"Óptima. Terminámos com tínhamos que terminar.

Processos em que o Benfica estava envolvido: e-toupeira e emails

"Fui a cara do Benfica. Tenho de ser porque apareço muito em público, mas é evidente que quando começam a surgir notícias de fora. Podia ir de frente, quase respondendo o que o clube precisa de ser respondido. Mas independentemente do que se passava, tinha de levar os jogadores para a frente. Aquilo que me guiava era guiar a equipa e manter o equilíbrio. Posso afirmar que andámos desde o ano passado com menos sentido de união."

Bruno Lage

"Bruno Lage terá que ser protegido. Acho que tem qualidade, o apoio tem que estar presente".

O Benfica pode ganhar o campeonato?

"Claro que pode. Também tivemos um atraso enorme na primeira época, mas conseguimos vencer".

Imagem do futebol português

"O futebol português precisa de claramente de pensar no que quer para o futuro. Toda a gente tem que se sentar à mesa, os vários agentes. Esta irracionalidade e ódio tem que parar... Ou toda a gente mete a mão na consciência...ou vai ser difícil parar. Falo no futebol português na sua generalidade. É fundamental que as pessoas reflictam ou então vamos ficar mais longe dos outros. Temos que ver o que os outros estão a fazer. A questão dos calendários é decisiva, da formação é decisiva. Os [clubes] pequenos têm que ser mais fortes".

Experiência no Al Nassr

"Este novo projeto é uma oportunidade de estar novamente no ativo. As pessoas tiveram uma grande vontade em que fosse representar o Al Nassr. Isso incentivou-me e fez com que olhasse para isto como uma boa oportunidade de trabalho. É a primeira saída que vou ter para o estrangeiro, e quero levar o nome de Portugal por esse mundo fora."

Falou com Jorge Jesus?

"Não falei. Isso foi pouco importante nessa altura. A decisão nunca estaria colocada nesse prisma. (...) Nós treinadores havemos de encontrar-nos aqui e ali."

Quanto vai ganhar?

"Não vou sequer abordar isso. São questões particulares e não interessa nesta altura."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.