O FC Porto virou pela segunda temporada consecutiva a primeira volta na frente da I Liga portuguesa de futebol, desta feita com recorde pelo meio e com maior vantagem sobre o segundo classificado.

Os comandados de Sérgio Conceição até chegam a meio do campeonato com mais derrotas (duas contra zero) e menos pontos (43 contra 45) do que em 2017/18, mas levam uma vantagem maior sobre o segundo classificado, o Benfica, que está a cinco pontos e tem mais um do que Sporting de Braga e três do que Sporting.

Para chegarem a esta fase na frente, os 'dragões' igualaram o recorde de vitórias consecutivas (em todas as competições) de uma equipa portuguesa, com 18 triunfos, registo igual ao do Benfica de 2010/11, mas ultrapassaram o de Artur Jorge no FC Porto em 1984/85.

Com apenas um reforço a 'pegar de estaca' na equipa, o brasileiro Éder Militão, Sérgio Conceição recorreu-se do núcleo duro da temporada passada, com Marega novamente como uma das principais figuras, apesar de ter apenas sete golos, metade dos da temporada passada por esta altura.

O FC Porto apenas não conseguiu bater o recorde, porque empatou em casa do Sporting (0-0), na 17.ª e derradeira jornada da primeira volta.

A última derrota do FC Porto aconteceu em casa do Benfica, à sétima jornada, por 1-0, com um golo de Seferovic, que de praticamente afastado da equipa se tornou numa das figuras dos 'encarnados', com sete golos até ao momento.

A primeira volta do Benfica foi muito conturbada, com três derrotas e dois treinadores até ao momento, com Bruno Lage a substituir nas duas últimas partidas Rui Vitória, que deixou o clube após a derrota em casa do Portimonense.

A goleada sofrida em casa do Bayern de Munique (5-0), na Liga dos Campeões, deixou Vitória praticamente despedido, mas, depois de decidir a demissão, o presidente Luís Filipe Vieira acabou por voltar atrás na decisão e segurou o treinador.

Após este momento, seguiram-se sete vitórias consecutivas em todas as competições, mas o empate com o Desportivo das Aves, na Taça da Liga, e a derrota em Portimão levaram à saída de Vitória.

No início da temporada foram vários os reforços apresentados, mas apenas o guarda-redes Odysseas Vlachodimos se impôs no 'onze', numa temporada em que os jovens Gedson Fernandes e João Félix tem sido aposta com relativa regularidade.

Primeiro líder isolado da I Liga, o Sporting de Braga termina a primeira volta na luta pelo título e pelo apuramento para a Liga dos Campeões - dois primeiros -, somando apenas duas derrotas, em casa do FC Porto (1-0) e do Benfica (6-2).

A equipa comandado por Abel Ferreira, que nunca escondeu o sonho de vencer a I Liga, manteve o núcleo duro de 2017/18 e tem o melhor marcador do campeonato, o brasileiro Dyego Sousa, com 12 golos.

Após o final conturbado da última temporada, o Sporting entrou em 2018/19 com um presidente da SAD interino, Sousa Cintra, que apostou no regresso de José Peseiro ao comando técnico da equipa.

Peseiro foi demitido após a derrota com o Estoril Praia, na Taça da Liga, e substituído interinamente por Tiago Fernandes, que fez três jogos antes da chegada de Marcel Keizer.

Com o holandês, os 'leões' começaram a 'todo o gás', com sete vitórias consecutivas (em todas as provas), nas quais marcaram 30 golos.

Contudo, o gás começou a falhar nos últimos quatro jogos do campeonato, em que os 'leões' perderam dois e empataram hoje.

Sem nomes como Rui Patrício, William Carvalho ou Gelson Martins, que deixaram a equipa após o ataque à Academia, Bruno Fernandes e Bas Dost, que voltaram atrás na decisão de rescindir, têm sido as figuras, com o holandês a ser o segundo melhor marcador do campeonato, com 10 golos.

Interessante e equilibrada tem sido a luta pelo quinto lugar, que ainda poderá dar acesso à Liga Europa, com Vitória de Guimarães e o surpreendente Moreirense a terminarem a primeira volta igualados e com três pontos de avanço sobre o Belenenses e quatro sobre o Portimonense.

Os promovidos Nacional e Santa Clara têm feito uma carreira tranquila, tal como o Rio Ave, que começou muito bem a época e chegou a estar a lutar pelo quinto lugar, mas acabou por interromper a boa série, numa temporada em que viu José Gomes deixar a equipa para assinar pelo Reading.

Na luta pela manutenção, o Desportivo de Chaves deixou, na 17.ª ronda, com um triunfo sobre o 'tranquilo' Tondela, o último lugar, embora ainda em igualdade com o Desportivo das Aves, com 12 pontos cada, os mesmos que tinham os dois últimos, Vitória de Setúbal e Estoril Praia, na última temporada no virar do campeonato.

Num ano em que descem três equipas, devido à subida na 'secretaria' do Gil Vicente, a primeira equipa acima da 'linha de água' é o Boavista, com mais três pontos do que o Feirense, que tem mais um do que flavienses e avenses.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.