O ex-futebolista português Paulo Futre elegeu como o seu melhor “clássico” entre FC Porto e Benfica um que valeu a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira aos “dragões”, à custa de uma noite “horrível” de Neno.

«Sem dúvida que fiz grandes jogos, mas tenho de ficar com um para a Supertaça, que ganhámos na Luz, por 4-2. Foi um dia muito feliz para mim e para o FC Porto, mas foi um dia horrível para o Neno, que era meu colega na seleção e era o guarda-redes do Benfica. Estava contente por mim e pelo FC Porto, mas, por outro lado, estava triste pela má noite que o Neno teve», afirmou Futre, em entrevista à Agência Lusa.

A memória do antigo internacional português remonta a 26 de novembro de 1986, quando jogou em Lisboa a segunda “mão” da Supertaça, depois do empate a um golo no primeiro encontro, uma semana antes, no Porto. Futre marcou dois golos, Madjer e Gomes um cada, enquanto Diamantino e Dito assinaram os tentos “encarnados”.

Depois desse penúltimo “clássico”, Futre recordou ainda o derradeiro em que alinhou de azul e branco e que se saldou por uma vitória benfiquista, por 3-1, com três golos de Rui Águas, naquela que foi a sua única derrota para o campeonato no recinto dos “encarnados” (04 de janeiro de 1987).

Curiosamente, foi o mesmo local e um outro FC Porto-Benfica, a 27 de janeiro de 1993, que serviu de palco para a sua apoteótica apresentação como reforço dos “encarnados”, no regresso a Portugal, depois de seis épocas no Atlético de Madrid, clube em que ficou conhecido como “El Portugués”.

«Foi uma loucura. Entrar num estádio e todo o mundo a gritar pelo meu nome. Tinha-me acontecido lá fora, no Atlético de Madrid, mas nunca em Portugal. Ainda por cima, não estava equipado, estava de fato e gravata, foi uma sensação incrível e um dia muito especial para mim», admitiu o antigo extremo, considerando que “não podia estar melhor acompanhado, pelo grande Eusébio e pelo autêntico cavalheiro, o Jorge de Brito”.

Com a águia ao peito, Futre disputou 13 jogos, 11 para o campeonato, e nunca perdeu: marcou cinco golos e apenas empatou dois encontros, um deles na receção ao FC Porto, depois de ter marcado o golo da vitória “encarnada” frente ao seu Sporting (1-0), ou melhor... contra Sousa Cintra.

«O meu grande problema, mais do que o FC Porto, foi o Sporting. Porque tinha estado a negociar com o Sporting, estava tudo praticamente acertado e depois o Sousa Cintra falhou, não apareceu com o dinheiro. Já passaram 18 anos e ainda hoje estou à espera dele no aeroporto para irmos a Marbella fechar o negócio. Ele não apareceu e nunca mais disse nada», frisou Futre, reiterando a «grande honra e o grande orgulho» de ter alinhado no Benfica.

Paulo Futre marcou cinco golos nos seus 17 “clássicos”, um deles pelo Benfica, ganhou sete, empatou cinco e perdeu outros cinco.

- Futre nos “clássicos” ao serviço do FC Porto:
1984/85 LP 3.ª jornada 16 set 1984
 FC Porto - Benfica, 2-0 (Gomes 16 e 18).
1984/85 LP 18.ª jornada 27 jan 1985
 Benfica – FC Porto, 0-1 (Gomes 70).
1984/85 TP final 10 jun 1985
 Benfica – FC Porto, 3-1 (Nunes 14, Manniche 33 e 47gp/ FUTRE 67gp).
1984/85 ST 1.ª mão 27 mar 1985
 Benfica – FC Porto, 1-0 (Maniche 55).
1984/85 ST 2.ª mão 17 abr 1985
 FC Porto - Benfica, 1-0 (Vermelhinho 87).
1984/85 ST Desempate 16 mai 1985
 FC Porto - Benfica, 3-0 (Vermelhinho 05, Gomes 37 e 88).
1984/85 ST Desempate 30 mai 1985
 Benfica – FC Porto, 0-1 (FUTRE 30).
1985/86 LP 1.ª jornada 25 ago 1985
 FC Porto – Benfica, 2-0 (Juary 04, Gomes 79).
1985/86 LP 16.ª jornada 04 jan 1986
 Benfica – FC Porto, 0-0.
1985/86 TP 8avos de final 12 fev 1986
 Benfica – FC Porto, 2-1 (Maniche 55gp, Rui Águas 70/ FUTRE 50).
1985/86 ST 1.ª mão 20 nov 1985
 Benfica – FC Porto, 1-0 (Diamantino 38).
1985/86 ST 2.ª mão 04 dez 1985
 FC Porto - Benfica, 0-0.
1986/87 LP 1.ª jornada 24 ago 1986
 FC Porto – Benfica, 2-2 (Gomes 14, Juary 63/ Rui Águas 54, Chiquinho Carlos 86).
1986/87 LP 16 .ª jornada 04 jan 1987
 Benfica – FC Porto, 3-1 (Rui Águas 02, 45, 51/ Gomes 15).
1986/87 ST 1.ª mão 19 nov 1986
 FC Porto - Benfica, 1-1 (Gomes 32/ Rui Pedro 02).
1986/87 ST 2.ª mão 26 nov 1986
 Benfica – FC Porto, 2-4 (Madjer 36, FUTRE 57, 70, Gomes 81/ Diamantino 67, Dito 88).
- Paulo Futre nos “clássicos” ao serviço do Benfica:
1992/93 LP 28.ª jornada 17 abr 1993
 Benfica – FC Porto, 0-0.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.