A Académica de Coimbra apresentou esta quinta-feira a escola de guarda-redes de futebol Briosa, que pretende criar condições para que os jovens promissores naquela posição atinjam um elevado nível de formação, segundo o presidente José Eduardo Simões.

"A Académica já teve grandes nomes na sua baliza e faz todo o sentido a criação desta escola, para que os jogadores tenham um desempenho melhor nessa posição", disse o líder dos ‘estudantes’, que deposita "muitas expectativas" na evolução dos futuros guarda-redes.

Aberta a crianças a partir dos cinco anos até aos 18/19 anos, mesmo a jogadores federados de outros clubes, a escola vai ser coordenada por Hélder Pinheiro, que aposta no fomento do interesse pelo posto de guarda-redes e na sua importância dentro da equipa.

"Os guarda-redes são esquecidos, mas são muito importantes na ação de uma equipa. Não nos podemos esquecer que o processo ofensivo começa neles", salientou o coordenador.

Para o vice-presidente da ‘briosa’ António José Figueiredo, a criação da escola será importante para auxiliar o gabinete de prospeção do clube na observação dos jovens que alinham nos clubes à volta de Coimbra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.