João Tomás, 34 anos, estreou-se na primeira Liga em 1997 com a camisola de Guimarães e desde cedo começou a dar nas vistas. Depois passou pelo Braga, Benfica, Al-Arabi e Al-Rayyan (Qatar). No ano passado esteve na Liga de Honra com a camisola dos axadrezados.

Sobre essa época no Boavista, João Tomás recorda que “é um grande clube numa situação muito delicada”. Além de uma “experiência difícil e enriquecedora ao mesmo tempo”, o avançado afirmou que era impossível os jogadores estarem à margem dos problemas do clube do Bessa.

Agora aos 34 anos, e João Tomás assegurou estar “melhor agora” com esta idade, veste a camisola do clube de Vila do Conde depois de, no ano passado, o Rio Ave ter atravessado um mau bocado aquando a possibilidade de descerem de Divisão.

João Tomás é actualmente o português com mais golos (5), tendo marcado os dois golos que deram o empate ao Rio Ave, no último jogo da primeira Liga frente ao Sporting, e só é ultrapassado por Cardozo, que encabeça a lista com 11 golos, e ainda Edgar (Nacional) e Falcao (FC Porto) com 7 golos.

A possibilidade deste ponta-de-lança vir a jogar pela Selecção Nacional foi mais falada na comunicação social do que na voz de Carlos Queiroz, e nem a boa forma física deste jogador natural de Oliveira do Bairro fez com que Carlos Queiroz o chamasse, nem para um jogo particular, para tirar a "prova dos nove" a João Tomás.

O nº 9 do Rio Ave afirmou ao Sapo Desporto não ter ficado com pena por Carlos Queiroz se ter "esquecido" dele. “O importante é estar bem e acredito que se tiver que chegar o momento, ele chegará. Mas não viverei obcecado com isso, até porque acho que acontece naturalmente”, afirmou.

Numa altura em que se debate a ausência de pontas-de-lança na formação de Portugal, João Tomás sublinhou que não será um “jogador que fará a diferença. O importante é estarem todos disponíveis”.

Enquanto espectador dos jogos da equipa das “quinas”, nomeadamente este última na Luz, onde Portugal venceu por 1-0 à Bósnia na primeira mão do play-off de acesso ao Mundial 2010, o jogador sabe que “foi importante vencer sem sofrer golos” e antevê um “jogo muito mais difícil na Bósnia”. Mas acredita que Portugal tem todas as condições para ultrapassar esta qualificação, para isso terá apenas “de fazer aquilo que sabe fazer”. “Portugal tem que se assumir como grande que é”, acrescentou.

Referente à primeira Liga, João Tomás não tem a certeza das capacidades do Braga na sua afirmação como candidato a título de campeão nacional mas referiu que os minhotos estão “fortes”. O avançado vê ainda “Benfica muito forte, com uma equipa muito segura e jogadores confiantes neles próprios. São sem dúvida fortes candidatos ao título deste ano”.

Quando questionado sobre um possível futuro convite dos três grandes (FC Porto, Sporting e Benfica) do campeonato nacional para a próxima época, João Tomás não hesitou: “Claro que aceitaria”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.