Com César Peixoto ausente por castigo, coube ao adjunto João Correia orientar o Paços de Ferreira a partir do banco de suplentes diante do Benfica e fazer, depois, a análise à partida na 'flash interview' junto da BTV que se seguiu ao encontro.

"Apesar da curta distância em relação ao jogo passado, preparámos este ao pormenor, como é nosso apanágio. Sabendo que o Benfica vinha numa cadência positiva muito forte, com sete vitórias, 20 golos marcados e 2 sofridos. Sabíamos que com rigor, trabalho e coragem podíamos ter um bom resultado, apesar das condicionantes. Com 12 jogadores indisponíveis, julgo que fizemos um jogo fantástico, mantivemos o resultado em aberto até ao último segundo. É inglório não levar pelo menos um ponto", sublinhou o técnico.

"O nosso plano passava por tentar anular os pontos ponto fortes do Benfica com bola, na construção pelas laterais e pelo meio, e depois daí tentar impedir que tivessem bola nas entrelinhas, pressionando, tentando também proteger sempre as costas da defesa. Este era o nosso plano, julgo que foi interpretado com o máximo rigor. Como bola tentámos impor o nosso jogo, sair curto e outras vezes longo. Com a bola em nossa posse a tentar chegar com jogadores no último terço com critério, para tentar fazer golo. Fizemos isso a 5 minutos do intervalo, mas ali numa desatenção defensiva o Benfica fez o empate. Depois surge o penálti, que dá o 2-1 em cima do intervalo. Foi um murro no estômago", lembrou.

"Sabemos que não há vitórias morais, são 0 pontos. Mas sabemos que tendo toda a equipa disponível em breve, iremos dar muitas alegrias aos adeptos. Eles que nunca abandonaram a equipa. Apesar dos 3-0 do último jogo, ovacionaram os jogadores, sabem o momento que a equipa passa, mas sabem tambám que temos o caminho bem traçado. E com certeza vamos arrancar para uma série de bons resultados e fazer um campeonato tranquilo", conclui.

Quem também falou na 'flash interview' após o encontro foi o autor dos dois golos do Paços, Koffi.

"Foi um jogo difícil para nós, conseguimos manter-nos unidos, tentámos, mas não fizemos o resultado que queríamos. Somos uma família e vamos continuar a lutar juntos», afirmou o avançado costa-marfinense à BTV.

"Marquei dois golos, mas não ganhámos, por isso os golos não são importantes. Preferia ganhar", garantiu.

Veja as melhores imagens do encontro

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.