O Relatório e Contas consolidado do FC Porto, publicado no sítio Internet da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), precisa que no exercício de 2009/2010 a remuneração total de Pinto da Costa foi de 400 mil euros, a de Adelino Caldeira de 240 mil euros, a de Reinaldo Pinheiro de 231 362 euros e a de Fernando Gomes da Silva (que cessou funções em 31 de Janeiro passado) de 180 mil euros.

O administrador executivo Angelino Ferreira, que substituiu Gomes da Silva em Fevereiro, recebeu 92 858 euros da SAD do Porto, e auferiu 116,6 mil euros pelas funções exercidas até ao fim de Janeiro na participada Porto Comercial.

Os membros da administração da SAD não são remunerados por outras empresas do grupo ou controladas por accionistas titulares de participações qualificadas.

O relatório salienta que a remuneração variável de 50 por cento do salário bruto anual correspondente ao terceiro lugar no campeonato nacional de futebol não foi atribuída por renúncia ao prémio.

Recorda que o presidente e demais administradores executivos renunciaram em Assembleia Geral de 13 de Novembro de 2008 ao prémio de 50 por cento pelo segundo e terceiro lugares no campeonato.

No documento, a Comissão de Vencimentos assinala que também não foram atribuídos os prémios sobre os lucros por a situação económica da sociedade não permitir essa distribuição por apresentar resultados económicos acumulados negativos (de quase 53,41 milhões de euros).

No exercício 2009/2010, a sociedade registou lucros consolidados de 77 278 euros.

Além das remunerações referidas, foram pagos 68,4 mil euros ao revisor de contas, 9,5 mil euros a outros serviços de garantia de fiabilidade e 239,2 mil euros por serviços não referentes à revisão legal de contas, prestados por técnicos diferentes da Deloitte que pertencem a equipas separadas para assegurar a independência, diz o relatório.

Na sua proposta à Assembleia Geral marcada para 25 de Novembro, a Comissão de Vencimentos propõe que a remuneração para os vogais executivos corresponda a 60 por cento do salário do presidente da SAD.

Quanto às compensações variáveis (prémios) para os administradores, mantém uma percentagem de 75 por cento do salário bruto anual caso o FC Porto seja campeão nacional e de 50 por cento para o segundo e terceiro lugares, de 100 por cento da remuneração se vencer a Liga Europa e de 120 por cento se o clube vencer a Liga dos Campeões.

Além disso, o presidente tem direito a 2 por cento dos lucros da SAD e os restantes administradores executivos a 1 por cento.

Os restantes órgãos da SAD não são remunerados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.