O Benfica recebe o Sporting esta sexta-feira, no jogo grande da 13.ª jornada da I Liga. Na antevisão à partida, Rúben Amorim revelou os jogadores indisponíveis para o duelo na Luz, mas frisou que a equipa continua a ter a mesma ambição de vencer o dérbi.

Ausências: "Quem não pode jogar é o Jovane, o Vinagre, o Coates e o Palhinha. São as quatro baixas, quatro jogadores que nos fazem falta, mas já tivemos outras no campeonato."

Dérbi: "É um jogo contra uma grande equipa, com um treinador muito experiente, que já leva um ano de trabalho, com muitas soluções, muito forte nas segundas bolas, no jogo entrelinhas. Vimos os jogos que têm feito. Podem mudar na frente, jogar com dois avançado e o Rafa atrás, com o Cebolinha mais entrelinhas. Têm o João [Mário], que tem feito um grande campeonato, o Weigl que melhorou muito. Uma defesa que não sofre muitos golos, um guarda-redes a fazer uma grande época. Será um jogo contra uma grande equipa. Nós temos o nosso valor, a nossa ideia, conhecemos o adversário e queremos ganhar o jogo."

Coates ou Palhinha, quem faz mais falta: "Todos fazem falta. Não vamos esconder que, pelos minutos e características, são jogadores difíceis de substituir. Temos outros com muito valor. Se o Palhinha cobre muito espaço, os dois que vão jogar tem que cobrir espaço extra. O Coates é muito agressivo nas bolas paradas, tem um papel dentro da equipa... Temos de evitar cruzamentos, bolas paradas e levar o jogo de acordo com as características dos que vão jogar. Todos vão ter que liderar a equipa."

Testes obrigatórios à COVID-19: "Temos de nos habituar a viver com isto. O Coates não tem qualquer sintoma. É o mais importante para nós. A vacina funciona. Não impede de ter a doença, mas impede sintomas graves. Haverá uma fase em que será mais uma gripe. Se tivermos de fazer testes, haverá mais oportunidades para outros e mais motivação."

Ponderar mudar o sistema: "Não pensámos em mudar o sistema para este jogo, pensamos em fazer, um dia, essa alteração, mas é preciso treino. Só vão mudar os jogadores. O grande senão é se precisamos de um segundo avançado para o jogo de cabeça. Não o temos. É a grande falha que me ocorre. O substituto do Coates estará preparado. Temos um saldo positivo com o Palhinha e com o Coates, mas houve jogos sem o Coates que ganhámos e houve jogos sem Palhinha que ganhámos. No último dérbi, aqui em Alvalade, jogámos sem o Palhinha de início, jogou o Matheus Nunes e acabou por jogar bem e marcar o golo da vitória. Obviamente que temos de ganhar. Isto não tira a responsabilidade ao Sporting. Olhamos para o copo meio cheio. O Dani tem de jogar. O Ugarte, com muito sangue na guelra, nada melhor do que lançar estes jogadores. É entusiasmante ter estes jogos para ver estes jogadores."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.