O Sporting voltou a ceder terreno na I Liga portuguesa de futebol pelo segundo jogo consecutivo, ao empatar este domingo 1-1 na receção ao Famalicão, em encontro da 26.ª jornada da prova.

Os 'leões' ainda estiveram em vantagem, quando Pedro Gonçalves, que igualou o suíço Seferovic, do Benfica, na liderança dos melhores marcadores, com 16 golos, inaugurou o marcador, aos 25 minutos, mas os famalicenses reagiram de imediato e igualaram volvidos dois minutos, por intermédio de Anderson.

Apesar de nova igualdade, a equipa 'leonina' conserva o primeiro lugar, agora com 66 pontos, mais seis do que o FC Porto, segundo classificado, e nove do que o Benfica, terceiro, enquanto a equipa de Famalicão ganhou mais um ponto na fuga à zona de despromoção, sendo agora 13.º, com 27.

As equipas

Nuno Mendes integrou o onze titular depois de ter recuperado da lesão sofrida na segunda-feira, ante o Moreirense.

Também titular nos 'verdes e brancos' foi Luís Neto, que ocupou a vaga deixada pela ausência de Gonçalo Inácio, um dos lesionados do plantel leonino. Em relação ao último jogo, Rúben Amorim trocou ainda Daniel Bragança por Tiago Tomás na equipa titular.

Assim sendo, o Sporting alinhou com Adán; Coates, Feddal e Neto, Nuno Mendes, João Mário, Palhinha, Porro; Pote, Tiago Tomás e Paulinho.

Já o Famalicão entrou em cena no Estádio de Alvalade com Luiz Junior; Rúben Vinagre, Riccieli, Patrick William e Diogo Figueiras; Iván Jaime, Gustava Assunção, Ugarte e Pêpê; Gil Dias e Anderson.

O jogo

O encontro no Estádio de Alvalade começou com um Famalicão forte e confiante, a fazer frente a um Sporting que não conseguia pegar no jogo. Com passes curtos, os leões tentavam passar um organizado Famalicão, mas sem sucesso. Lento e previsível, o Sporting não conseguiu pressionar o adversário nos primeiros 20 minutos de jogo.

Nessa altura, os homens de Rúben Amorim começaram a crescer no jogo e pareciam ter finalmente encontrado o trilho que terminava no fundo das redes de Luiz Junior. Foi exatamente neste momento de domínio que os leões chegaram ao golo por Pedro Gonçalves.

Depois de três jornadas sem marcar, o médio leonino tinha já sido ultrapassado pelo benfiquista Seferovic, que na noite anterior bisou na goleada sobre o Paços de Ferreira e chegou aos 16 golos. Mesmo assim, o jovem Pote fez o gosto ao pé e soma agora os mesmos golos que o avançado suíço.

No entanto, os festejos sportinguistas foram (muito) curtos. Dois minutos depois do golo de Pedro Gonçalves, Anderson marcou e reestabeleceu a igualdade no marcador, que se manteve até ao intervalo... e até ao final do jogo.

Na segunda parte, Rúben Amorim fez algumas alterações e tirou tirou Feddal - que teve uma primeira parte muito desinspirada - e João Palhinha - que já tinha visto um cartão amarelo - para lançar Matheus Reis e Daniel Bragança. As mudanças tiveram efeito e o Sporting ia impondo mais o seu jogo.

Depois disso, o treinador leonino ainda tirou João Mário - que rendeu menos que o normal na posição mais à esquerda em que foi lançado. Menos presente e mais perdido nesta função, o internacional português deu lugar a Jovane, que entrou para dar mais agressividade ao jogo, de uma forma que João Mário não conseguia fazer.

Mesmo assim não foi o suficiente para chegar o segundo golo. Nos últimos dez minutos de jogo, os leões ainda procuraram o tento com unhas e dentes, na esperança de que a estrelinha voltasse a fazer das suas, mas sem sucesso.

O melhor

De regresso aos golos, Pedro Gonçalves deu tudo em campo e procurou arduamente outro resultado para os leões. Além do golo, o médio contribuiu ainda com cinco desarmes. A par de Pote, também Coates esteve muito ativo na luta pelos três pontos.

O pior

Como já foi referido, João Mário não esteve nos seus melhores dias, muito devido à posição em que foi colocado por Rúben Amorim. Ao médio português, juntaram-se ainda os também desinspirados Feddal e João Palhinha.

O momento

O jogo deste domingo ficou marcado ainda pela expulsão de Rúben Amorim, que além de ser um momento forte da noite foi ainda um daqueles que gerou (e promete continuar a gerar) polémica. Por trás do cartão vermelho mostrado ao treinador do Sporting está um lance aos 91 minutos em que Jovane caiu num duelo com Rúben Vinagre. Os leões ficaram a reclamar grande penalidade, mas Rui Costa mandou seguir.

Reações

Rúben Amorim: "Temos um campeonato cheio de artistas"

Ivo Vieira: "Queríamos mais que o empate"

Emanuel Ferro e o significado do empate: "Significa que ganhámos mais um ponto e não dois como era suposto"

Pedro Gonçalves: "Continuamos numa boa posição por isso agora é lutar até ao fim"

Ivan Jaime: "Foi um grande jogo de toda a equipa"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.