Na primeira vez que o Sporting se viu a perder por dois golos de desvantagem esta temporada, os leões quase averbavam a primeira derrota da época e viam assim quebrada a invencibilidade que já dura há 28 jogos.

Veja o resumo da partida

Com seis jornadas para jogar, a pressão aumenta e a margem de erro diminui. A equipa de Rúben Amorim dá a sensação de estar escaldada com o comando da Liga e que está nos limites do que pode dar. Desta feita e frente ao Belenenses SAD produziu caudal ofensivo suficiente para ter uma vitória tranquila (que tanta falta fazia neste momento de menor fulgor), mas voltou a faltar a pontaria e uma verdadeira referência ofensiva - Foi o central Coates a ter que subir, já nos derradeiros minutos, para tentar resgatar um ponto ao Sporting.

Já o Belenenses SAD de Petit vinha com o rótulo de ser uma das defesas menos batidas do campeonato, com apenas 24 golos sofridos.  Os azuis do Jamor entregaram o encontro ao Sporting e acabaram o jogo com apenas 30% de posse de bola, mas em três remates fizeram dois golos. Os verdes e brancos por outro lado remataram 27 vezes, o maior registo até ao momento na Liga NOS, mas parecem estar a sentir o peso da liderança. Em quatro jogos, os leões perderam seis pontos e somaram apenas uma vitória - frente ao Farense na 27.ª jornada (2-1).

Com o Sporting sempre com mais iniciativa, o Belenenses SAD conseguiu encurtar os espaços, obrigando a equipa leonina a ter que se fazer valer dos corredores, quase sempre pelo lado de Nuno Mendes, que tentava solicitar os homens mais ofensivos. Novamente Paulinho apareceu desinspirado, assim como Tiago Tomás. Para este encontro, Amorim tentou reformular com Pote no apoio aos homens mais adiantados, mas foi demais evidente o desacerto e a desinspiração durante a primeira parte que ficou marcada por dois momentos: Primeiro o do golo de Cassierra, numa jogada construída por Miguel Cardoso e que resultou de uma assistência de Varela. Já perto do final da primeira parte o Sporting dispôs de uma grande penalidade que João Mário desaproveitou, não tendo engenho para bater Kritciuk.

Na segunda parte, Amorim quis mexer com o jogo. Nuno Santos entrou para o lugar de Tiago Tomás - não se percebe porque é que Santos não tem sido uma aposta regular de Amorim. Contudo, para desgosto leonino, foram os visitantes que chegaram ao golo e de uma forma demasiado cruel para o conjunto da casa. Um erro de palmatória de Adán permitiu que Cassierra bisasse no encontro.

Com o treinador a ver-se força a meter 'toda a carne no assador' e com Coates a subir para a posição de ponta de lança, a mudança acabou por confundir os azuis e o Sporting reduziu num cabeceamento do uruguaio depois de assistência de Nuno Santos.

Com o bafo do dragão já na mente dos jogadores, o Sporting foi pelo menos à procura de manter a invencibilidade na Liga, de forma atabalhoada é certo e sem o discernimento de outros tempos. Os leões acabaram premiados já próximo do final da partida. Tiago Esgaio desviou com a mão uma bola dentro da área e o árbitro não teve dúvidas. Na marcação da grande penalidade, Jovane fuzilou e estabeleceu a igualdade final (2-2).

Momento

A grande penalidade desperdiçada por João Mário já perto do final da primeira parte. Seria o empate para os leões, que teriam a segunda parte para tentar chegar ao triunfo. O médio português falhou, e acabou por ser o Belenenses SAD a marcar o segundo golo a abrir a segunda parte. A partir daí, o Sporting mais não fez do que conter os danos e somar um ponto, mantendo a invencibilidade na Liga.

Melhores

Cassierra

Como a inteligência de um predador, o dianteiro soube ler os momentos do jogo. Na primeira parte correspondeu da melhor forma a um cruzamento de Varela para fazer o primeiro. No segundo tempo, aproveitou um erro de Adán para bisar. Eficácia de 100%, mais não se pode pedir a um avançado.

Nuno Mendes

Foi ele contra o mundo, perante a desinspiração dos companheiros e face à importância do momento. Tentou levar a equipa às costas e não virou a cara à luta. Tentou servir por inúmeras vezes os companheiros que não corresponderam da melhor forma.

Kritciuk

Foi decisivo ao defender uma grande penalidade no final da primeira parte e com isso o Belenenses SAD levou a vantagem para o intervalo.

Coates

Amorim terá de repensar se não será melhor colocá-lo a ponta de lança em todos os jogos. Tem tido a mira mais afinada que os colegas do ataque.

Nuno Santos

Entrou no início da segunda parte e mexeu com o jogo. Depois de uma excelente jogada assistiu Coates para o golo. Não se percebe porque é que não tem sido aposta no onze inicial.

Reações

Rúben Amorim: "Acreditámos sempre. Foi uma recompensa para a equipa"

Petit: "Custa muito, porque estivemos perto de conseguir os três pontos"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.