Filme do Jogo

Um golo de Luis Díaz, aos 80 minutos, permitiu ao FC Porto derrotar o Vitória de Guimarães por 3-2, num jogo com supremacia 'azul e branca', que encerrou a 11.ª jornada da I Liga.

Depois de substituir Romário Baró, aos 31 minutos, o extremo colombiano assistiu Taremi para o golo do 2-2, aos 65 minutos, e marcou o tento decisivo num remate cruzado, num jogo em que os 'dragões' tiveram mais remates (16 contra quatro) e mais posse de bola (64%), mas tiveram de recuperar de duas desvantagens, face aos golos de Rochinha, aos sete minutos, e de Óscar Estupiñán, aos 63.

Ao garantir três pontos 'suados', o FC Porto mantém o terceiro lugar que tinha à partida para a jornada, com 25 pontos, a quatro do líder Sporting e a dois do segundo classificado, Benfica, enquanto os vimaranenses, que tinham hipóteses de alcançar os 'dragões' na classificação, mantêm o quinto lugar, com 19.

Vitória de Guimarães entra melhor na partida

Com o médio Romário Baró, em estreia a titular nesta edição do campeonato, no lugar do castigado Otávio, os 'dragões' quase marcaram aos dois minutos, num remate de Corona a rasar a trave, após erros de Sacko e de Bruno Varela na primeira fase de construção vitoriana.

Os anfitriões foram mais eficazes na resposta ao perigo 'azul e branco': Rochinha progrediu da esquerda para o centro do terreno, ultrapassou Uribe, médio portista que perdera a bola a meio-campo, e bateu Marchesín com um remate de fora da área, que ainda tabelou na cabeça de Diogo Leite, antes de tocar as redes.

Em vantagem, a formação vimaranense organizou-se num bloco recuado e compacto, destinado sobretudo a conter a reação do FC Porto, algo que conseguiu fazer até aos 25 minutos, quando a equipa treinada por Sérgio Conceição começou a trocar a bola com mais velocidade e a criar mais espaços em zonas adiantadas.

As trocas do 'amarelado' Romário Baró pelo extremo Luis Díaz e de Pepe por Sarr no eixo da defesa, pouco depois da meia hora de jogo, confundiram a retaguarda vitoriana e permitiram ao FC Porto ficar muito perto do empate, num remate cruzado de Taremi ao lado, após passe de Manafá, aos 37 minutos, e num lance em que Jorge Fernandes negou o golo a Luis Díaz, aos 40.

O esforço dos 'dragões' deu frutos antes do intervalo, ao minuto 42, num lance em que Sérgio Oliveira vislumbrou Marega a aparecer nas 'costas' da defesa adversária e o maliano, de regresso ao Estádio D. Afonso Henriques, após o episódio de racismo na época passada, em fevereiro, serviu Taremi para um encosto 'fácil'.

Montanha russa na segunda parte

Os pupilos de Sérgio Conceição continuaram com a iniciativa ofensiva na segunda parte, mas os vimaranenses, ao contrário dos últimos minutos da primeira parte, espreitaram sempre o contra-ataque, com pontapés longos para Rochinha ou Quaresma nas alas.

Já depois de Suliman ter substituído o lesionado Jorge Fernandes no eixo da defesa, aos 56 minutos, os vitorianos recolocaram-se em vantagem aos 63, com Quaresma, responsável por um golo e por duas assistências no jogo anterior (goleada ao Santa Clara, por 4-0), a cruzar para o cabeceamento certeiro de Oscar Estupiñán, que lhe valeu o quarto golo em três jogos consecutivos.

De novo atrás do 'prejuízo', os 'dragões' precisaram apenas de dois minutos para igualar, numa jogada pela esquerda, em que Luis Díaz ultrapassou Sacko e atrasou a bola para o remate de primeira de Taremi, indefensável para Bruno Varela.

Momento e Figura do Jogo

O FC Porto continuou em busca da reviravolta perante um Vitória expectante e, depois de Marega ter obrigado Bruno Varela a uma defesa difícil, aos 74 minutos, conseguiu-a mesmo, quando Luis Díaz - a figura da partida - dominou a bola no 'coração' da área e atirou rasteiro e cruzado para o fundo das redes.

Nos minutos finais, foi a vez de os 'azuis e brancos' recuarem no terreno para 'aguentarem' a reação vimaranense, algo que conseguiram com sucesso, sem concederem ocasiões claras para o empate.

Com esta vitória, o FC Porto fecha a ronda no terceiro lugar, com 25 pontos, menos dois do que o Benfica, segundo, e quatro do que o comandante Sporting, enquanto o Vitória é quinto com 19.

As vozes do protagonistas

Luz apagou-se na flash de Conceição: "Não sei se vão ligar a água também"

Luis Díaz: "Vamos lutar muito por este título"

João Henriques inconformado: "Uma equipa mais madura ganhava ao FC Porto"

Rochinha: "É frustrante. Queríamos terminar o ano com os três pontos"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.