O FC Porto juntou o útil ao agradável: se por um lado matou um 'borrego' de seis anos, vencendo na Mata Real em encontro a contar para a Liga - não acontecia desde 2014 -, por outro aproveitou mais uma queda do Benfica e passou a somar seis pontos de vantagem, ficando a três vitórias do título de campeão nacional, depois de bater o Paços de Ferreira por 0-1.

Mbemba fez o solitário golo da partida aos sete minutos, aproveitando uma defesa incompleta do guardião pacense.

O Jogo: Mbemba deu a vitória, Marchesín agarrou-a

Sérgio Conceição foi obrigado a mexer no onze apresentado na última jornada frente ao Boavista devido ao castigo de Sérgio Oliveira, que se tem revelado peça importante no ‘xadrez’ azul-e-branco. Assim Danilo regressou à titularidade e com ele trouxe Uribe e Manafá.

Sabendo que tinha a oportunidade de se afastar ainda mais do Benfica, depois da derrota dos ‘encarnados’ na Madeira, o FC Porto não precisou de muito tempo para se colocar numa situação confortável na partida ainda antes dos 10 minutos de jogo.

Após canto, Ricardo Ribeiro, guardião dos ‘castores’ faz uma defesa incompleta, com a bola a sobrar para Mbemba que frente à baliza não desperdiçou e inaugurou o marcador aos sete minutos.

O jogo perdeu fulgor após o golo se bem que, em boa verdade, o fulgor já não era grande desde o início da partida - nem foi até ao apito final - , sem grandes oportunidades de golo, com o FC Porto a apresentar uma eficácia de 100% nos primeiros 45 minutos e a marcar na única oportunidade dos dois conjuntos na primeira parte.

As equipas regressaram dos balneários sem mexidas e e o Paços entrou melhor e contou com uma oportunidade de alcançar a igualdade aos 49 minutos quando após passe de Jorge Silva pela direita, Luís Carlos a cabeceou ao lado, na primeira oportunidade de perigo dos 'castores'.

Aos 51 minutos, o Paços de Ferreira ficou a pedir grande penalidade por um suposto braço de Manafá, após cruzamento de Oleg. Luís Godinho, depois de ouvir o VAR, não foi de encontro às reclamações dos ‘castores’ e acabou por expulsar um dos dirigentes da equipa da casa na sequência dos protestos.

Os pacenses continuavam a crescer na partida e contaram com boas oportunidades na segunda parte mas que esbarraram num Marchesín atento e que, provavelmente, evitou males maiores para os ‘dragões’: primeiro aos 66 minutos, com o guardião a defender o remate acrobático de Luiz Carlos e aos 86’ com uma grande defesa a um remate tenso de Jorge Silva.

Já com Fábio Vieira e Vitinha em campo, depois de Sérgio Conceição gastar as paragens para troca de jogadores – o técnico usou quatro das cinco substituições – foi Vitinha a dar início a um contra-ataque que esteve próximo de selar o jogo, com o jovem ‘dragão’ a arrancar pela esquerda e a passar para Marega que atirou ao lado da baliza de Ricardo Ribeiro, na última grande oportunidade da partida aos 89 minutos.

O marcador no Capital do Móvel só mexeu uma vez e foi suficiente para o FC Porto voltar a vencer em caso do Paços, num daqueles jogos em que o resultado foi bastante melhor do que a exibição, algo que já não acontecia para o campeonato desde agosto de 2014 – até hoje eram três jogos, dois empates e uma derrota.

Além do regresso às vitórias na Mata Real, o ‘dragão’ fica ainda mais folgado na liderança do campeonato, passando a somar seis pontos de vantagem para o Benfica, rival direto na luta pelo troféu de campeão, sendo que a equipa de Sérgio Conceição têm ainda vantagem no confronto direto com as ‘águias’.

Desta forma, e feitas as contas, o FC Porto pode perder seis dos 15 pontos ainda em disputa no campeonato o que traduzindo em miúdos, significa que vencendo os três jogos em casa - vs Belenenses SAD (30.ª J), Sporting (32.ªJ) e Moreirense (33.ªJ) – sagra-se campeão nacional, um ano depois.

Já o Paços de Ferreira, que mostrou que merecia mais na partida, pode ver a linha de água aproximar-se, com a vantagem para o Portimonense a poder decrescer de sete para quatro pontos, ficando ainda em risco de sair da jornada na antepenúltima posição da tabela classificativa.

O melhor: Marchesín

O guardião ‘azul-e-branco’ acabou por segurar a vitória do FC Porto com duas grandes defesas aos 66 e 85 minutos que evitaram o empate pacense.

O momento: Minuto sete, golo de Mbemba

Num jogo morno, em que o resultado foi muito melhor que a exibição ‘azul-e-branca’, o golo do congolês acabou por ser o momento fulcral da partida, que se traduziu na vitória do FC Porto na Mata Real.

Reações

Conceição reage à saída de Lage e admite: "Não estou extremamente feliz, queria jogar melhor"

Mbemba: "Ainda faltam cinco jogos"

Pepa: "Não vou estar com aquele discurso de que este jogo não é do nosso campeonato"

Pedrinho: "Fomos superiores e a derrota é muito injusta"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.