"Houve uma tentativa de invasão das instalações da zona VIP. A polícia teve que intervir. Foram arremessados contra a polícia grades de ferro, pedras e tudo o que tinham à mão, o que obrigou a alguns disparos de 'shot-gun' para o ar, com a intenção de dispersar os adeptos", disse o sub-intendente da PSP Costa Ramos.

As forças policiais tiveram que recorrer a algumas bastonadas para impedir a entrada de cerca de 200 adeptos "leoninos", tendo-se ouvido disparos antes de os seguidores do Sporting terem desistido da entrada na zona de acesso à sala de conferência de imprensa, antes de tentarem aceder à zona de garagem.

"Houve um tentativa de invasão do piso -1 (onde se situa a garagem), que foi repelida e tiveram de ser chamados reforços para assegurar a integridade física dos dirigentes e dos jogadores do Sporting", acrescentou o sub-intendente, que dirigiu a operação.

Os funcionários do clube conseguiram fechar as portas do recinto antes da invasão dos adeptos, e a PSP criou um cordão de segurança.

"Antes do jogo, houve alguns problemas, embora não tenha sido necessário utilizar a força, mas teve que se impedir vários grupos de entrarem com tarjas com mensagens dirigidas ao treinador e aos dirigentes", acrescentou Costa Ramos.

Recorde-se que já antes do encontro algumas dezenas de adeptos protestaram em Alvalade pelo actual momento da equipa.

Com faixas a dizer "Minoria Absoluta" e "Vassourada", o grupo de manifestantes - que frisou não estar associado a nenhuma claque organizada leonina - brindou Paulo Bento, o director desportivo Pedro Barbosa e o vice-presidente Ribeiro Teles com cânticos críticos da sua actuação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.