O FC Porto confirmou hoje que as instalações do clube e a “morada do vice-presidente Antero Henrique” foram “objeto de buscas” no âmbito de uma investigação “relacionada com a atividade da empresa de segurança” que presta serviços ao clube.

Em comunicado publicado na sua página na internet, o clube afirma-se “inteiramente disponível para colaborar com a justiça”.

“No âmbito de uma operação de investigação relacionada com a atividade da empresa de segurança que presta serviços ao nosso clube, o FC Porto informa que foi objeto de buscas nas suas instalações, bem como na morada do seu vice-presidente Antero Henrique”, pode ler-se.

Quinze pessoas foram detidas e 50 buscas foram realizadas em diversos locais do país numa investigação relacionada com atividades ilícitas de empresas de segurança privada em estabelecimentos de diversão noturna, revelou hoje a Procuradoria-geral da República.

Segundo adianta a PGR, na "Operação Fénix", a cargo do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), existem suspeitas de associação criminosa, de exercício ilícito da atividade de segurança privada, de detenção de arma proibida, de extorsão agravada, de coação, de ofensas à integridade física qualificada e de favorecimento pessoal.

Entretanto, a PSP anunciou que foram apreendidas 40 armas, cerca de 121 mil euros, 10 viaturas e munições de diversos calibres.

Além de viaturas automóveis, dinheiro e armas, foi ainda apreendida documentação, tendo na operação o Ministério Público sido coadjuvado pela PSP, nomeadamente por elementos da Unidade Especial de Polícia e dos Comandos Distritais de Aveiro, Braga, Viseu e GNR.

A PGR refere que das 15 detenções, 13 resultaram do cumprimento de mandados de detenção fora de flagrante delito e duas em flagrante delito.

As 50 buscas - domiciliárias e não domiciliárias - ocorreram em diversas áreas do país, designadamente Lisboa, Porto, Amarante, Lamego, Braga, Vila Real, Lousada.

Os detidos serão apresentados na sexta-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) para interrogatório e aplicação de medidas de coação.

Entretanto, alguns órgãos de comunicação social indicaram que entre os suspeitos estava o vice-presidente do FC Porto Antero Henrique, que terá sido alvos de busca e ao qual terão sido apreendidos 70 mil euros.

*Artigo atualizado às 18h26

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.