O FC Porto, terceiro classificado, com 10 pontos, desloca-se esta sexta-feira ao terreno do Paços de Ferreira, 14.º, com cinco, em partida que abre a sexta jornada, agendada para as 20h30, que terá arbitragem de Nuno Almeida, da Associação de Futebol do Algarve.

A formação ‘azul e branca' caiu para o terceiro lugar do campeonato, depois de o Sporting ter vencido na quarta-feira o Gil Vicente, por 3-1, em partida em atraso da primeira jornada, mas Sérgio Conceição apontou a vontade do grupo em recuperar os pontos perdidos.

"Em termos teóricos e práticos é dos jogos mais difíceis que vamos ter. É um campo difícil e uma equipa muito organizada. O Pepa [técnico do Paços de Ferreira] tem feito um excelente trabalho e a cada ano que passa está mais treinador", analisou Sérgio Conceição.

O técnico dos ‘dragões' reconheceu que "não houve muito tempo para preparar este jogo", e, embora frisando as qualidades do adversário, garantiu um FC Porto que vai "arranjar soluções para ganhar" o desafio.

"Vamos apanhar um adversário de qualidade, muito forte a jogar no seu estádio. O seu treinador evidencia características competitivas e de boa organização. Não há grandes nomes, mas há uma equipa forte, que sabe o que faz. Cabe-nos encontrar a solução para ganhar o jogo", vincou o treinador portista.

Questionado sobre se esta época tem mais soluções em comparação com as três temporadas anteriores, Sérgio Conceição preferiu lembrar as dificuldades financeiras que o clube tem vindo a superar nos últimos anos, desabafando que "nem tudo é uma maravilha".

"Tivemos jogadores de muitíssima qualidade, que foram mais valias para o clube. Estou aqui para potenciar jogadores, ganhar campeonatos, e entrar na Liga dos Campeões, para sermos uma solução para o clube. Agora, não podemos dizer com o estado de coisas a nível geral, no nosso país e do FC Porto, que está há três anos sob a alçada do fair-play financeiro, que tudo é uma maravilha", desabafou.

Sobre as eventuais renovações de contrato com o experiente defesa central Pepe e com o jovem médio Fábio Vieira, o treinador do FC Porto disse ainda não ter dados para as comentar.

"Não fui informado sobre quem ia renovar. Não sei quem será, não tive qualquer conversa com o presidente sobre isso. As renovações fazem parte da vontade do presidente e da administração", notou.

À margem da sua equipa e deste jogo com o Paços de Ferreira, Sérgio Conceição foi instado a comentar o aumento dos números da pandemia de covid-19 e o impacto que isso terá no futebol, partilhando "uma preocupação igual à de todos os portugueses".

"Preocupa-me este vírus tirar muitas vidas e complicar a vida às pessoas. Se vai parar ou não, se o público volta aos estádios ou não, não me cabe olhar para isso. Claro que gostava de ter público, foi reconfortante voltar a sentir pessoas nas bancadas. Mas não podemos dissociar o futebol desta pandemia. Estou esperançado que se encontre uma cura para contrariar este maldito vírus", partilhou o treinador do FC Porto.

Para este desafio com o Paços de Ferreira, Sérgio Conceição assumiu que o avançado colombiano Luis Díaz "está melhor [da recuperação de lesão] e poderá estar entre os convocados", algo que não acontecerá com o defesa Zaidu, a cumprir um jogo de castigo, por ter sido expulso na jornada anterior.

Do lado do Paços de Ferreira, o treinador Pepa defendeu que a sua equipa terá de melhorar a eficácia ofensiva, evitando desconcentrações na construção, para ter sucesso frente a um FC Porto "muito competente".

De regresso ao banco de suplentes e às conferências de imprensa, após recuperar de infeção pelo novo coronavírus, o técnico pacense disse ter gostado do que viu na sua ausência, mas insistiu na necessidade de a equipa passar a "ter mais critério no último terço".

"Temos ‘pouco golo’ para tanto volume ofensivo e teremos de ter muito cuidado na fase de construção, porque o FC Porto identifica bem as referências de pressão. Depois, é desfrutar do jogo, levá-lo para a dimensão que pretendemos e manter o equilíbrio emocional, porque isso dá-nos equilíbrio tático e melhores decisões", disse Pepa.

O técnico pacense assegurou estar preparado para defrontar o campeão em título nas suas mais diversas variantes: "Com uma linha [defensiva] a três ou a quatro, dois pontas [de lança], um ou três avançados", na certeza de que será sempre "muito difícil".

"Sabemos o que vamos encontrar, independentemente das escolhas do Sérgio [Conceição], que não me canso de dizer que tem feito um trabalho extraordinário. Estamos a falar de uma equipa muito forte e muito orientada. As alterações [no FC Porto] são normais e resultam da gestão que tem de ser feita. Quem nos dera também poder jogar de dois em dois dias", referiu.

Pepa relativizou as previsíveis mudanças no ‘onze' do FC Porto, que tem intercalado jogos do campeonato com os da Liga dos Campeões, mas destacou quatro pilares, entre defesa, meio campo e ataque.

"O Pepe é um líder por natureza e tem um nível de rendimento altíssimo, o Sérgio Oliveira acrescenta muito em qualquer equipa nos lances de bola parada e é o cérebro, o Otávio desequilibra por dentro e por fora e o Marega é exímio a procurar os espaços", detalhou.

Na classificação do campeonato, o Paços de Ferreira ocupa o 14.º lugar, com cinco pontos, enquanto o FC Porto é terceiro, com 10.

As duas equipas abrem a sexta jornada, na sexta-feira, num confronto que se vai realizar no estádio Capital do Móvel, a partir das 20:30, e terá arbitragem de Nuno Almeida, da associação do Algarve.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.