Após a cerimónia de transladação de Eusébio e do elogio fúnebre que teve a honra de proferir no Panteão Nacional, António Simões analisou o seu discurso.

"Quando as coisas vêm cá de dentro, as coisas correm bem. Não vim para aqui [Para o Panteão Naciona] para brilhar, vim aqui para dar justiça. Eu tive esse pequeno momento para isso”, afirmou orgulhoso”.

“Isto não é um momento de inspiração, é um momento de justiça. Ficou bem expressa a minha relação com ele e com a família, há 50 anos que nós nos conhecemos, há 50 anos que os nossos filhos convivem. Eu e o Eusébio fizemos a cumplicidade de uma família inteira”, referiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.