Declarações de Rúben Amorim, treinador do Sporting, à Sport TV, após o triunfo sobre o Boavista (1-0), que deu o título de campeão nacional aos leões, 19 anos depois.

"Tenho um grupo de jogadores fantásticos, o mérito é dos jogadores. Que lutaram, cresceram muito, são muito humildes. Foram mais duas horas de sofrimento. É o reflexo da nossa época. Jogámos melhores, fomos muito melhores, não conseguimos o segundo golo e sofremos até ao fim."

[Contratado por 10 milhões] "Sentia um peso e agora saiu-me de cima. As pessoas queriam mesmo festejar este campeonato, pelo valor, pela aposta arriscada... eu queria ganhar pelos jogadores, pelo clube, e por outras razões não muito saudáveis que não vou dizer quais são."

[Paulinho] "Toda a gente precisa de tempo. O Paulinho marcou um golo, mas falhou três ou quatro. Se não tivesse marcado, estávamos aqui a crucificar o Paulinho. Mas ganhámos, o Paulinho marcou o golo e esta época só podia acabar assim. Muito sofrimento, golo do Paulinho e vitória em casa."

[Sente-se mais sportinguista agora?] "Vou sentir o clube de uma forma diferente à que sentia quando aqui cheguei. Disso não há dúvida."

[Vai continuar no próximo ano?] "Não vou a lado nenhum, a não ser que paguem tudo."

"Daqui a mês e meio começa tudo outra vez e estaremos aqui com o estádio cheio, se Deus quiser, e se a bola não entrar, estaremos a ver lenços brancos. No futebol, a bola entra ou não entra, somos campeões ou não somos... é sorte. Ganhamos o título, agora é terminar bem e tenho de passar o curso de treinador, que vai ser muito difícil. Na próxima época começa tudo de novo e é por isso que o futebol é tão bonito. Os jogadores que festejem e se preparam para a próxima época."

Especial Campeão 2020/2021: saiba tudo sobre o título do Sporting

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.