Depois de terem perdido em Atenas, frente ao AEK por 0-1, para a Liga Europa, os encarnados voltaram aos golos e nem a chuva intensa que se fazia sentir em Paços de Ferreira impediu de haver quatro golos na Mata Real.

Todos os golos dos encarnados surgiram na primeira parte, e depois de um desleixo da equipa benfiquista na segunda parte, o Paços conseguir reduzir a vantagem por intermédio de Maykon.

O primeiro golo do Benfica apareceu cedo, ao minuto três, depois de um pontapé de canto executado por Carlos Martins e David Luiz cabeceia ao primeiro poste para dentro da baliza de Cássio.

Depois do primeiro golo, o Paços de Ferreira continuava dentro de campo como se nada tivesse acontecido e procurou sempre o empate. A equipa pacense conseguia aproximar-se da baliza de Quim, através de jogadas rápidas, mas faltava a eficácia.

Ao minuto 22, Carlos Martins surpreende Cássio com um grande remate (106 quilómetros por hora) a meio do campo, e a bola a fazer um grande efeito acaba dentro da baliza. Estava feito o segundo do Benfica.

Apesar do Paços estar a perder, demonstrou sempre vontade de jogar mas sem conseguir aproveitar as excelentes jogadas que nasciam da velocidade no meio-campo pacense.

O terceiro golo do Benfica nasceu de um livre directo e Cardozo não perdoou. A bola ainda bateu na barra mas só parou quando tocou as redes da baliza pacense.

Na segunda parte, o Benfica tentou gerir da melhor forma a vantagem sobre os pacenses e assegurar os três pontos que o mantém na segunda posição da primeira Liga. Mas foi essa gestão que impediu os encarnados de se aproximarem da baliza de Cássio, permitindo ao Paços subir mais no relvado.

E foi nesta situação que o Paços de Ferreira marcou aos 68 minutos por intermédio de Maykon, completamente solto, que rematou rasteiro ao segundo poste com a bola a passar por debaixo de Quim. Este golo deveu-se também à desatenção de David Luiz que deixou o brasileiro sozinho.

O Paços de Ferreira aproveitava o desleixo do Benfica e tentava o tudo por tudo para reduzir a vantagem. Nota para a grande jogada individual de Cristiano, ao minuto 70, que só não acabou em golo porque o guardião Quim efectuou uma grande defesa.

Os (encharcados) adeptos encarnados, que estavam no topo norte do estádio, local onde não há cobertura, não deixaram de apoiar a equipa visitante durante os 90 minutos e o Benfica acabou por levar para a Luz os três pontos nesta sétima jornada.

O clube da Luz conquista assim a sua vitória número 1400 e continua em segunda posição, a dois pontos do líder Sporting de Braga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.