Bruno de Carvalho concedeu uma longa entrevista ao semanário ´Expresso` onde falou de quase tudo. Um dos temas abordados na entrevista que saiu na edição deste sábado foi o empresário Jorge Mendes, com quem Bruno de Carvalho garante não ter qualquer relação.

O presidente do Sporting lembrou que nenhum clube com quem Jorge Mendes colabora está a vingar no futebol.

"Pouco me interessa vender um jogador por 300 milhões e entrarem três milhões no clube. Ouço que são muitos milhões, milhões, milhões, passaram-lhe 500 mil milhões pela mão, isto e aquilo e aqueloutro... Felicidades. Não vejo nenhum clube em que ele está metido a vingar, mas tudo bem. As pessoas acham que sou um tipo arrogante.

Sou um tipo 100 por cento humilde, detesto é a estupidez. Quando há estupidez no meio, sou, de facto, arrogante. [...] O maior filho da mãe que eu conheço no mundo, se for útil para o Sporting, eu aturo-o 100 anos, 24 horas por dia. Agora, ser isso tudo e não ajudar o Sporting? [risos] De facto, aí, nem um segundo", comentou o líder leonino, prosseguindo.

"No dia em que deixar de ser uma pessoa normal, no dia em que deixar de ter os pezinhos assentes na terra, achar que sou o Rei Sol, achar que sou o melhor do mundo e que os outros todos não prestam... esse é o dia em que o cidadão Bruno de Carvalho leva o presidente. Pois. Não gosto disso em mim e não gosto nisso nos outros. Tirei o curso de gestão. Não tirei o curso de malabarismo. Não sou o David Copperfield, nem gosto do David Copperfield. Felizmente, ensinaram-me a matemática certa. Um mais um são dois. E um mais nove são dez. Ensinaram-me a tabuada. Não costo de combinar contabilidade e criatividade. Acho que uns devem fazer contabilidade, outros quadros ou esculturas", atirou Bruno de Carvalho ao ´Expresso`.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.