Vida difícil para o Vitória de Setúbal. Os sadinos perderam em casa do último e já despromovido Desportivo das Aves e pode ser igualado pelo Portimonense, a primeira equipa em zona de descida. Na Vila das Aves, os sadinos falharam uma grande penalidade e atiraram duas bolas aos ferros. Estreia com o 'pé esquerdo' de Lito Vidigal no comando dos sadinos, ele que foi contratado para o que resta da época, com a missão de salvar a equipa da descida de divisão. O Desportivo das Aves marcou finalmente um golo, 684 minutos depois. Os avenses não venciam desde 02 de fevereiro, quando venceram o Marítimo por 2-1, na 19.ª ronda. Quinta vitória da equipa esta época na I Liga.

O cruzamento entre o último e já despromovido Aves e o antepenúltimo Vitória de Setúbal era uma boa oportunidade para Lito Vigidal começar a sua cruzada rumo a salvação dos sadinos. O angustiante e incomodativo 16.º posto deixa os sadinos pressionados, na procura dos pontos que os permite continuar na elite do futebol português.

O Aves, já despromovido, é um adversário difícil neste momento porque nunca se sabe o que se vai encontrar: com a pressão do lado adversário, os de Manta Santos podem jogar à vontade, com os jogadores também à procura de boas exibições que chame a atenção dos clubes que vão estar na Primeira Liga em 2020/2021.

Foi com esta tranquilidade que os avenses entraram no jogo, marcando logo aos quatro minutos, numa grande penalidade. Após canto, Hachadi agarrou Marius, o árbitro João Bento estava em cima da jogada e marcou falta. Mehrdad Mohammadi enganou Makaridze e atirou para o fundo das redes. O Desportivo das Aves fazia um golo na I Liga, 684 minutos depois.

Era a 'vida a andar para trás', terá pensado Lito Vidigal. Mas essa mesma 'vida' ganhou uma oportunidade de dar um passo em frente quando, na outra área, Dikhité entrou em falta sobre Éber Bessa, aos sete minutos. Nuno Valente é que não teve a mesma arte do iraniano: remate denunciado, que o guarda-redes Aflalo defendeu.

O desespero do Vitória na procura do empate acabava quase sempre com os jogadores a usarem mais o coração que a cabeça. Muito jogo direto, muita pressa em resolver tudo, muitos lances perdidos. O Aves, despreocupado, ia tentando dilatar a vantagem. O iraniano, um dos melhores do plantel, fintou três, aos 35 minutos, mas Makaridze negou-lhe as intenções.

Do banco sadino vieram André Sousa e Alex para o segundo tempo, ficando Nuno Valente e Artur Jorge nos balneários.

E foi outro Vitória aquele que voltou para a segunda parte. Mais dinâmica no ataque, mais movimentos, menos pressa, mais cabeça.

O minuto 50 é de duplo azar para a formação que viajou de Setúbal. Mansilla entrou na área e disparou de pé esquerdo, a bola bateu no poste e quase ficava na posse de Berto. Os sadinos voltaram a ganhar a bola e, Heriberto, ao tentar meter na área, viu o esférico bater num defensor e bater de novo no poste. Sorte para o despromovido, azar para o aflito.

Lito queria mais e meteu Mathiola no posto do lesionado Hachadi e depois Leandrinho no lugar de Berto. A última mexida não agradou em nada ao avançado, que fez questão de mostrar o seu descontentamento para com o treinador. Lito Vidigal mandou o diretor resolver a questão.

Diakhite, que já tinha amarelo, voltou a não medir bem as intenções e entrou feio sobre Leandrinho: segundo amarelo e consequente expulsão, sadinos com mais um durante 15 minutos. Devia ser, se Sílvio também não tem visto o vermelho (duplo amarelo) aos 80. O lateral também não mediu bem o timing, atropelou Marius e foi tomar banho mais cedo. Tudo empatado em número de jogadores.

Aos 89 Jubal ainda colocou a bola no fundo das redes, com a bola a bater duas vezes nos ferros antes de entrar mas o lance foi anulado pelo fora-de-jogo do central brasileiro.

Já nos descontos, Banjaqui podia ter feito o 2-0 mas Jubal negou-lhe as intenções com um grande corte.

Depois de 11 jogos sem vencer, o Desportivo das Aves regressou às vitorias e está no 18.º e último lugar, com 17 pontos, enquanto o Vitória de Setúbal, que não vence há 13 jogos, e somou a quinta derrota consecutiva, está em 16.º, com 30, mais três que o Portimonense, primeira equipa em zona de despromoção.

Veja o resumo do jogo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.