O golo do recém-entrado Roberto, aos 62 minutos, bastou ao Vitória de Guimarães para sair do Restelo com os três pontos, frente a um Belenenses que apareceu melhor no início do segundo tempo, mas não teve arte nem engenho para chegar à igualdade.

Os dois conjuntos entraram em campo com várias alterações nos “onzes”, em relação aos respectivos jogos da última jornada.

Do lado do Belenenses, o técnico João Carlos Pereira fez entrar Rodrigo Arroz, Ivan e Yontcha, que regressou quase dois meses e meio após lesão, para os lugares de Diakité, Celestino e Fredy, enquanto na formação vimarenense, Custódio e Rui Miguel substituíram Nuno Assis, castigado, e o “capitão” Flávio Meireles, lesionado.

Os vimarenenses vinham de uma derrota pesada frente ao FC Porto (4-1), na 12ª jornada, ao passo que os “azuis” haviam empatado a zero no terreno do Rio Ave.

A primeira meia-hora decorreu sem grandes motivos de interesse, com ambas as equipas muito retraídas na hora de atirar à baliza: o Vitória tentava sair sempre com boas trocas de bola, mas pouco incisivas, ao passo que os “azuis” eram pouco esclarecidos no último terço do terreno.

Os primeiros lances de perigo surgiram apenas à passagem do minuto 35, primeiro pelo belenense Lima, que atirou à figura de Nilson, após boa iniciativa, tendo respondido logo a seguir o vimarenense Douglas, num lance tirado a “papel químico” do adversário.

A terminar o primeiro tempo, Gabriel Gomez, na marcação de um livre directo, obrigou Nilson a aplicar-se, mas, na resposta, foi João Alves que esteve perto de inaugurar o marcador, num remate que passou perto do poste esquerdo da baliza de Nélson.

No início da segunda parte, entrou melhor a equipa da casa e Gomez voltou a assustar Nilson num livre directo, defendido pelo guardião brasileiro, antes de Mano arriscar um pontapé de fora da área, que passou perto.

No entanto, foi o Vitória a abrir o marcador, ao 62 minutos, por intermédio do ponta-de-lança Roberto, na primeira vez que tocou na bola, após ter entrado no jogo, para três minutos depois ter nova possibilidade para “facturar”, mas viu Nélson negá-la.

O Belenenses tentava responder e, aos 72 minutos, o recém-entrado Celestino falhou o empate de forma incrível, rematando por cima da barra, após uma defesa incompleta de Nilson, que depois viu o camaronês Yontcha estar perto do empate, num cabeceamento perigoso.

Com esta vitória, a primeira em 15 anos no Estádio do Restelo, o Vitória sobe ao nono lugar da classificação, enquanto o Belenenses continua sem vencer em casa desde a segunda jornada e o técnico João Carlos Pereira viu os adeptos pedirem a sua demissão no final do encontro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.