O Benfica fechou a primeira volta da I Liga de futebol com 49 golos, o melhor registo após as primeiras 17 rondas do campeonato luso em quase meio século, mais precisamente desde 1975/76.

Depois dos 54 tentos também dos ‘encarnados’, há 46 anos, num campeonato a 16 equipas, o melhor registo pertencia ao FC Porto, com os 48 de 1984/85, também numa prova com 30 rondas.

Em edições com 18 clubes, o máximo, a meio da prova, estava em 46 golos, conseguidos pelo Benfica, em 1989/90, e o FC Porto, em 1995/96.

As melhores marcas dos últimos anos ficam, porém, muitíssimo distantes dos recordes nas primeiras 17 jornadas, sendo que o ‘top 3’ está totalmente ocupado pelo Sporting.

Os ‘leões’ fecharam a ronda 17 com 87 golos em 1939/40 (campeonato com 18 jornadas), 84 em 1946/47 (26) e 76 em 1941/42 (22).

A quarta melhor marca é do Benfica, com 74 golos em 1944/45 (campeonato com 18 jornadas), enquanto a quinta é dividida pelo Belenenses, de 1942/43 (18), e o FC Porto, de 1939/40 (18), ambos com 73 tentos apontados.

Em 2021/22, os ‘encarnados’ estão longe desse registo e também da recente melhor marca em qualquer volta, já que há três anos, em 2018/19, o ‘onze’ de Bruno Lage apontou 66 golos na segunda metade da prova, para um total de 103.

Na primeira volta, não há, porém, melhor desde 1975/76, sendo que os maiores responsáveis pelo feito das ‘águias’ são o uruguaio Darwin Núñez, com 13 golos, e o internacional luso Rafa, com 13 assistências, mais sete tentos.

Em matéria de concretização, secundam Darwin e Rafa o ucraniano Yaremchuk, com seis golos, seguido do brasileiro Lucas Veríssimo, do espanhol Grimaldo e do suíço Seferovic, todos com três.

Sob o comando de Jorge Jesus, até à 15.ª jornada, e depois de Nélson Veríssimo, o Benfica só ficou em ‘branco’ uma vez, na receção ao Portimonense (0-1), marcando apenas um em quatro ocasiões e dois em cinco.

Nos restantes jogos, os ‘encarnados’ chegaram duas vezes aos três (3-1 ao Boavista e em Guimarães), uma aos quatro (4-1 em Famalicão), uma aos cinco (5-0 nos Açores), uma aos seis (6-1 ao Sporting de Braga) e duas aos sete (7-0 fora ao Belenenses SAD e 7-1 ao Marítimo).

Pelos piores motivos, entrou para a histórica o 7-0 no Estádio Nacional, perante um Belenenses SAD que começou com nove, incluindo dois guarda-redes, e forçou o final do encontro no início da segunda parte, evitando males maiores.

No campeonato de 1975/76, as grandes figuras da primeira volta dos ‘encarnados’, comandados por Mário Wilson, foram os avançados internacionais lusos Nené, com 17 golos, e Jordão, com 15.

O Benfica somou três jogos em ‘branco’, com Boavista e Sporting, em casa, e no reduto do Sporting de Braga, mas colecionou várias goleadas, com destaque para o 9-1 ao Leixões, o 7-1 ao Estoril, o 6-1 ao União de Tomas e o 5-0 ao Beira-Mar.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.