No final do encontro entre o Desportivo de Chaves e Estoril-Praia, da 15.ª jornada da I Liga de futebol, que os transmontanos venceram por 1-0, o médio, de 25 anos, surgiu na sala de imprensa com o capitão da equipa, Nélson Lenho, para se despedir do emblema `azul-grená´.

“Estou triste por deixar este grupo fantástico e este clube com estes adeptos. Desde o primeiro dia que me senti muito feliz aqui e nunca me faltou nada”, afirmou, emocionado.

Apesar de assumir estar triste por ir embora, Battaglia frisou estar “igualmente feliz”, porque o seu regresso ao clube minhoto é um passo na carreira.

E acrescentou: “Vivo o dia-a-dia. O futebol é dinâmico e tenho de obedecer e ir para lá [Braga].”

O argentino revelou que vai seguir o Desportivo de Chaves “sempre”, deixando uma palavra de agradecimento aos adeptos, colegas e equipa técnica.

“Aqui fui feliz e onde se é feliz sempre se quer voltar”, realçou.

Battaglia estava emprestado ao Desportivo de Chaves, clube de onde provém Jorge Simão, ex-técnico do emblema `azul-grená´ e agora nos bracarenses.

O argentino chegou a Braga em 2013/14 e, na época seguinte, foi emprestado ao Moreirense, tornando-se agora o primeiro reforço de inverno dos bracarenses.

No final da partida de quinta-feira à noite, o jogador exibiu uma camisola com a mensagem “Obrigada, GD Chaves”, abraçando adeptos, colegas e responsáveis do clube.

Acompanhando Battaglia, o capitão do Desportivo de Chaves assumiu que a sua ida para o Braga é uma “perda muito grande”.

Além disso, agradeceu-lhe ainda todo o trabalho realizado em prol da equipa, desejando-lhe felicidades.

“Além de um enorme jogador é uma excelente pessoa”, salientou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.