O Benfica recebeu e venceu o Moreirense por 2-0 em partida da 2.ª jornada da I Liga, seguindo assim 100 por cento vitorioso na prova. Depois da goleada da ronda inagural, desta feita, em noite de grande desperdício, valeram aos 'encarnados' um cabeceamento certeiro de Rúben Dias, que envergou a braçadeira de 'capitão', quem sabe em dia de despedida, ainda na primeira parte, e outro de Seferovic, que saltou do banco para sentenciar a partida.

A turma de Jorge Jesus dominou o encontro do princípio ao fim, raramente permitiu que o Moreirense criasse perigo e foi desperdiçando ocasiões de golo, algumas de forma inacreditável, e só já perto do fim chegou ao golo da tranquilidade.

Vindos de estreias vitoriosas nos respetivos jogos da ronda inaugural (o Benfica por 5-1 no terreno do Famalicão e o Moreirense por 2-0 na receção ao Farense), os dois treinadores mantiveram-se - dentro do possível - fiéis à velha máxima 'em equipa que ganha não se mexe'. Os visitantes fizeram entrar exatamente o mesmo 'onze' da primeira jornada e, nas 'águias', Jorge Jesus trocou apenas o lesionado Taarabt por Pizzi.

Benfica entra com tudo e marca cedo

O Benfica entrou dominador, com as habituais trocas de bola curtas e rápidas entre os jogadores, à imagem de Jesus, mas foi num contra-ataque, em resposta à primeira iniciativa ofensiva do Moreirense, que as 'águias' quase marcaram logo aos 5 minutos. Rafa lançou Darwin e este, ainda fora da área, perante a saída de Pasinato, guarda-redes do Moreirense, tentou colocar a bola junto ao poste, mas errou a baliza por pouco.

O conjunto da casa mandava no jogo e, pouco depois, na sequência de um pontapé de canto, foi o Vertonghen que quase marcou. O defesa belga saltou mais alto que toda a gente na grande área do Moreirense, mas de cabeça errou o alvo por milímetros. Depois, à passagem do minuto 15, foi Everton Cebolinha a tentar a sua sorte, de fora da área, com um forte remate que passou ligeiramente ao lado.

A turma de Jorge Jesus não baixava a intensidade e adivinhava-se o golo, que acabou mesmo por surgir, aos 20 minutos. Uma vez mais na sequência de um canto, desta feita batido por Everton, Rúben Dias, esta tarde a envergar a braçadeira de capitão, ganhou nas alturas e cabeceou de forma perfeita para o 1-0.

Moreirense tenta responder, mas Benfica continua a somar oportunidades

Em vantagem, o Benfica não abrandou e Darwin Nuñez, depois de trabalhar bem, atirou a rasar a trave, ainda de fora da área. O Moreirense, por seu lado, tentou reagir e, num ataque rápido, esteve mesmo perto de marcar. Lucas Silva rematou, a bola desviou em Grimaldo e quase traiu Vlachodimos, mas este ainda conseguiu, com uma excelente defesa evitar o golo.

Um raro momento de aflição para um Benfica que continuava senhor do jogo e muito perigoso. Desmarcado por Everton, Waldschimdt surgiu em boa posição mas viu um adversário travar o seu remate no momento decisivo e  Rafa, num remate em jeito após canto de Everton, não falhou por muito a baliza de Pasinato. E, aos 35 minutos, só uma fenomenal intervenção do guarda-redes do Moreirense impediu que Everton dilatasse a vantagem 'encarnada'.

Rafa, Rúben Dias e Everton também ameaçaram e Darwin Nuñez chegou mesmo a introduzir a bola no fundo das redes, já no período de descontos do primeiro tempo, mas estava em posição irregular e o intervalo chegou mesmo com o Benfica a vencer pela margem mínima. Resultado escasso para tantas oportunidades criadas...

Segunda parte e o desperdício continua

As duas equipas regressaram sem alterações para o segundo tempo. O Benfica entrou num ritmo menos acelerado, mas ainda e sempre instalado no meio-campo contrário, sem que o Moreirense conseguisse ameaçar qualquer tipo de reação. As ocasiões de golo das 'águias' não eram, contudo, agora tantas e, quando surgiam, tinham o mesmo destino.

Waldschmidt atirou cruzado, ligeiramente ao lado, e Everton viu Pasinato defender, a dois tempos, um forte remate. Depois, à passagem da hora de jogo, Waldschmidt falhou, de forma quase inacreditável, o 2-0. Darwin surgiu isolado e, à saída de Pasinato tocou para o alemão que, contudo para marcar, com a baliza à sua mercê, rematou de forma algo displicente e permitiu que Rosic ainda chegasse a tempo para interceptar o esférico.

Jesus mexe no ataque e Seferovic mostra eficácia

Perante tanto desperdício, Jorge Jesus resolveu mexer na frente de ataque. Lançou Chiquinho, Seferovic e Pedrinho para os lugares de Pizzi, Waldschmidt e Rafa, e acabou por ser recompensado. Apesar de jogar agora com menos intensidade, o Benfica continuava a mandar no jogo e, num ataque rápido pela direita, Darwin fugiu a um adversário a grande velocidade e cruzou na perfeição para Seferovic. O suíço, entrado em campo há poucos minutos, mostrou uma eficácia que os colegas não tinham mostrado até aí e fez o 2-0.

O segundo golo das 'águias' sentenciou o jogo. O Benfica baixou o ritmo, o Moreirense, apesar das alterações introduzidas por Ricardo Soares, continuou a não conseguir criar qualquer perigo e o resultado não sofreu mais alterações, apesar de André Almeida ainda ter enviado uma bola à base do poste da baliza à guarda de Pasinato.

O triunfo permite assim ao Benfica chegar aos seis pontos em dois jogos e igualar no topo da tabela o Santa Clara, que também soma duas vitórias ao fim de duas jornadas. O Moreirense, por seu lado, segue com três.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.