No jantar/convívio da Casa do FC Porto da Trofa, Pinto da Costa admitiu já não esperar que o clube "azul e branco" repita esta época os títulos das últimos quatro, devido às "esparrelas" no "campeonato dos túneis".

"Este campeonato é especial porque quem o vai vencer não merece. Não digo que o FC Porto é que merecia... Nem o Braga merecia, mesmo tendo-lhe sido tirado o Vandinho... Mas por tudo o que o senhor presidente [do governo Regional] João Jardim fez na Madeira com a construção de tantos túneis, quem devia ganhar este campeonato era um clube da Madeira, já que estamos no campeonato dos túneis", disse Pinto da Costa.

O presidente portista referia-se implicitamente aos incidentes do túnel da Luz, após o Benfica-FC Porto de 20 de Dezembro, que resultaram na suspensão dos jogadores portistas Hulk e Sapunaru, e aos acontecimentos no final do Sporting de Braga-Benfica, dos quais resultou a suspensão de Vandinho.

Jorge Nuno Pinto da Costa prometeu estar "atento" no próximo ano para "mostrar aos adversários que o FC Porto é forte e melhor dentro de campo" e "não precisa de fazer com que os jogadores dos adversários sejam impedidos de jogar para ganhar e ser melhor".

A propósito da sua recandidatura, que será apresentada a 19 de Abril, pelas 17:00, no Estádio do Dragão, no ano em que completa 28 anos como líder dos Dragões, Pinto da Costa disse que não avançaria, se tivesse sido campeão este ano.

"Se tivéssemos sido campeões nacionais, tenho 99 por cento de certeza de que não me candidataria. Mas tenho enorme responsabilidade e quero deixar o clube com mais títulos e com o sonho do Museu do Dragão em pé", disse.

Ainda numa clara indirecta ao líder do campeonato, Benfica - que segue isolado com mais 11 pontos que os portistas, à 26.ª jornada - Pinto da Costa falou de "apoios vindos de todos os lados que o FC Porto não precisa".

"Não precisamos de ter televisões a insultar os nossos adversários para que o FC Porto seja campeão. Não precisamos de criar canais para insultar os nossos adversários. Não precisamos que ex-árbitros daltónicos, que só vêem uma cor, venham para os jornais dizer que um golo é fora de jogo quando foi marcado de canto. Não vamos recorrer a fedorentos para atacar adversários", afirmou no final do discurso, agradecendo a presença da ex-atleta portistas Fernanda Ribeiro e do ex-futebolista Fernando Gomes.

Antes, o presidente dos "azuis e brancos" classificou o futebol português de "inédito", lançando farpas à Comissão Disciplinar da Liga: "Só neste futebol os jogadores são proibidos de jogar e os presidentes proibidos de falar. Qualquer dia o nosso motorista é proibido de conduzir e temos de ir a pé para o estádio".

O presidente da Casa do FC Porto na Trofa, Diamantino Silva, também criticou a imprensa por eventuais "ataques à dignidade do FC Porto", concluindo o seu discurso com uma manifestação de agrado pela recandidatura de Jorge Nuno Pinto da Costa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.