Os números são elucidativos. Uma mão cheia de golos em 45 minutos mostram o potencial ofensivo da equipa de Jorge Jesus. O técnico voltou à estrutura base, depois das alterações em Poltava, e chamou ainda Aimar, que estava em dúvida para a partida. Uma equipa com as 'estrelas' todas, para não perder pontos para Sporting e FC Porto, que já venceram os seus embates nesta jornada

E não se terá arrependido o treinador. O número 10 encarnado foi um autêntico maestro no relvado, pautando o ritmo (avassalador) do ataque benfiquista. Mesmo a golear, os encarnados não parecem querer tirar o pé do acelerador.

Construindo uma actuação de alto nível, foram necessários 16 minutos para o Benfica quebrar a frágil resistência do V. Setúbal. Javi García subiu mais alto do que os defesas e inaugurou o marcador. A partir daí, cada lance perto da área de Mário Felgueiras era um sufoco. Já Quim era um mero espectador. Seguiram-se os golos de Luisão (21'), que respondeu da melhor forma a um livre de Aimar; Cardozo, a converter finalmente um penálti ao seu estilo; e Aimar (35') e Ramires (37'), a marcarem isolados e sem oposição. E vão 5-0. Sem quaisquer dificuldades.

Os espectadores fazem a 'hola' mexicana nas bancadas. E Jorge Jesus também pode estar satisfeito.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.