O Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa tomou a decisão de juntar o caso dos 'vouchers' ao caso dos 'e-mails' do Benfica num só processo depois de considerarem que há matéria e personagens coincidentes em ambas as investigações, avança esta quarta-feira a revista Sábado.

Na sua edição online, a referida publicação garante que o Ministério Público concentrou num só processo as investigações às ofertas do Benfica a árbitros, observadores e delegados e as investigações aos e-mails do clube da Luz que foram tornados públicos.

De acordo com a revista Sábado, a decisão de juntar os dois casos num só processo foi tomada pelos procuradores da 9ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, depois de considerarem que há matéria e personagens coincidentes a ambas as investigações.

A Unidade Nacional contra a Corrupção da Polícia Judiciária (UNCC) entregou recentemente o relatório final da investigação ao caso dos 'vouchers', e foi com com base nessa informação que, os investigadores da Judiciária decidiram juntar o caso das ofertas dadas pelo Benfica a árbitros, observadores e delegados ao jogo ao processo do caso dos e-mails.

Segundo a mesma publicação, a investigação tem continuado a ouvir testemunhas no processo dos "emails", ainda que estes, apesar da sua divulgação pública, não possam ser tidos como prova.

No entanto, a investigação continua a analisar os milhares de documentos e ficheiros informáticos apreendidos nas buscas realizadas a 19 de outubro do ano passado a Luís Filipe Vieira, Pedro Guerra, Ferreira Nunes e outros suspeitos no chamado 'caso dos e-mails'.

A revista Sábado divulgou também informações dos mandados de busca a várias figuras do Benfica, revelando que, a magistrada judicial considerou que perante os elementos recolhidos pela Unidade Nacional Contra a Corrupção da Polícia Judiciária estavam "adensadas as suspeitas" da prática de eventuais crimes de corrupção desportiva activa e passiva.

"Os factos sob investigação respeitam à suspeita da actuação de responsáveis do SLB-SAD, que, em conluio com personalidades do mundo do futebol e da arbitragem, procurarão exercer pressão e influência junto de responsáveis da arbitragem e outras estruturas de decisão do futebol nacional, tendo em vista influir na nomeação e classificação de árbitros nesse âmbito", pode ler-se no documento da juíza do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

Apesar da investigação em curso, os investigadores judiciais estão de 'mãos atadas' para utilizar os e-mails como prova, e nos últimos meses surgiu na internet um blogue criado na plataforma 'WordPress' que tem vindo a divulgar conteúdos das caixas de correio de vários responsáveis do Benfica, nomeadamente ficheiros da contabilidades dos encarnados.

Perante esta nova vaga de divulgação de dados privados da SAD do Benfica, levantam-se várias questões relativas a pagamentos que o Benfica fez a clubes como Belenenses e Boavista sem uma explicação lógica, ou a transferências mensais de cinco mil euros entre 2013 e 2015 a uma empresa de Carlos Janelas, com o alegado intuito de coordenação dos comentadores afetos ao Benfica nos vários canais de televisão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.