O “apagão” no final do jogo de domingo na Luz, durante os festejos do título nacionalde futebol do FC Porto, poderá ser tido como uma infracção leve e o Benfica incorre numa multa pecuniária de 250 a 2.500 euros.

Embora o Regulamento Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) não contemple especificamente a situação, esta poderá ser enquadrada no âmbito do que toca à inobservância dos deveres dos clubes.

O artigo 101.º refere que «em todos os outros casos não expressamente previstos em que os clubes deixem de cumprir os deveres que lhes são impostos pelos regulamentos e demais legislação aplicável são punidos com a multa de 250 a 2.500 euros».

A LPFP, de acordo com uma fonte contactada pela Lusa, «não vai tomar nenhuma posição oficial sobre a matéria», que, no entanto, poderá ser objecto de análise pela Comissão Disciplinar (CD) na reunião de terça-feira.

Elemento fundamental a ter em conta para uma eventual sanção a aplicar pela CD da LPFP ao Benfica, no que toca ao “apagão” no final do jogo, é o relatório do árbitro Duarte Gomes.

O incidente da Luz ocorreu no final do jogo que opôs o Benfica ao FC Porto, da 25.ª jornada da Liga, e que terminou com o triunfo dos “dragões”, por 2-1, e consequente conquista virtual do título de campeão.

A luz apagou-se no estádio, ao mesmo tempo que foi ligado o sistema de rega, quando os jogadores portistas festejavam com os seus adeptos a conquista de mais um título de campeão nacional de futebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.