A Benfica SAD teve o segundo maior resultado líquido da história, de acordo com o Relatório e Contas, enviado à CMVM. Os 'encarnados' conseguiram 41,7 milhões de euros de lucros em 2019/20, uma subida homóloga de 48,7 por cento, no melhor ano de rendimentos de sempre, marcado pela venda ‘milionária' de João Félix.

O lucro obtido é o segundo maior da história da sociedade gestora do futebol profissional do Benfica, apenas superado pelos 44,5 milhões de euros registados em 2016/17.

Este é o o sétimo exercício consecutivo da SAD sempre a gerar lucro.

Quanto ao resultado operacional, houve uma melhoria de 65,5%, para 54 milhões de euros, segundo os números disponibilizados na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Na época 2019/20, a SAD do Benfica obteve 294,428 milhões de euros em rendimentos (aumento de 20,5% face ao exercício anterior), superiores aos 244,431 ME registados em 2018/2019, o que faz desta época o mais produtivo de sempre do emblema 'encarnado'.

No Relatório e Contas enviado à CMVM, a SAD do Benfica explica que o passivo do clube caiu para 325,917 milhões de euros, um queda de 10 por cento. Os capitais próprios do clube situam-se nos 161,1 milhões de euros, o que representa uma subida de 35,2 por cento.

Neste exercício, o Benfica teve 145,2 milhões de euros de rendimentos com transações de direitos de atletas, uma subida de 58,9 por cento em relação a 2018/2019 (91,4 ME). Para estes números contribuíram os 120 milhões recebidos pela venda de João Félix ao Atlético Madrid, venda essa incorporada no exercício de 2019/20.

O clube informa ainda o valor da dívida líquida é de 92,8 milhões de euros, o valor mais baixo da década. Pela primeira vez ficou abaixo da fasquia dos 100 milhões de euros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.