O ‘dérbi dos dérbis’, o duelo entre Benfica e Sporting, ‘caiu’ mais 26 vezes para o lado dos ‘encarnados’, que recebem na sexta-feira o 312.º duelo entre os dois rivais da Segunda Circular.

Desde o embate inaugural, há bem mais de um século, em 01 de dezembro de 1907, o conjunto da Luz conta 136 vitórias, contra 110 da formação ‘leonina’, mas 65 empates, em encontros da I Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga, Supertaça, Campeonato de Portugal e também do Regional de Lisboa.

O conjunto da Luz também soma mais golos, num total de 527, liderado pelos 27 do ‘rei’ Eusébio, enquanto os ‘leões’ marcaram 474, quase meia centena, mais precisamente 48, pelo ‘violino’ Fernando Peyroteo, melhor marcador do dérbi.

No que respeita apenas ao campeonato, o Benfica exerce um domínio ainda mais claro, com 81 triunfos, contra apenas 48 dos ‘leões’ (299-236 em golos), muito por culpa do empate total em Alvalade – 33 triunfos e 125 golos para cada lado.

Os ‘encarnados’ também lideram na Taça da Liga (2-0), enquanto os ‘verde e brancos’ comandam na Taça de Portugal (19-16) e na Supertaça (3-2), e também fecharam em vantagem o Campeonato de Portugal (3-2) e o Regional de Lisboa (37-33).

A liderança expressiva das ‘águias’ deve-se, em grande parte, aos tempos mais recentes, sendo que, na segunda década do século XXI, conseguiram a margem mais ‘esmagadora’ em qualquer período de 10 anos.

O conjunto benfiquista somou 15 vitórias, contra apenas cinco dos ‘leões’, o seu pior registo absoluto desde o período entre 1910/11 a 1919/20.

Depois desta grande desvantagem, o Sporting começou da melhor maneira a terceira década, ao vencer em casa o Benfica por 1-0, graças a um golo do suplente Matheus Nunes, já nos descontos, aos 90+2 minutos.

No entanto, na penúltima ronda do campeonato, e já com o título entregue aos ‘leões’, o Benfica respondeu, com um triunfo na Luz por 4-3, que impediu o conjunto de Rúben Amorim de acabar o campeonato sem derrotas.

Seferovic, aos 12 e 49 minutos, o segundo de penálti, Pizzi, aos 29, e Lucas Veríssimo, aos 37, marcaram para as ‘águias’, enquanto Pedro Gonçalves, aos 45+1 e 77, o último de penálti, e Nuno Santos, aos 62, faturaram para os ‘leões’.

Os ‘encarnados’ acentuaram a vantagem nos últimos anos, já que apenas perderam dois dos últimos 14 jogos, o da primeira volta da I Liga 2020/21 e o de 03 de abril de 2019, dia em que os ‘leões’ ganharam por 1-0, na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal.

Depois de um desaire na Luz por 2-1, a formação ‘leonina’ qualificou-se para a final graças a um golo de Bruno Fernandes, agora no Manchester United, aos 75 minutos.

Por seu lado, o Benfica ganhou por 1-0 em Alvalade em 2015/16, com um golo de Mitroglou, decisivo para o título, venceu em casa por 2-1 no campeonato de 2016/17 e foi ao recinto ‘leonino’ vencer por 4-2 em 2018/19.

Depois do 2-1 caseiro para a Taça que acabou por nada valer na mesma temporada, o Benfica goleou os ‘leões’ por 5-0 na Supertaça, a abrir a época 2019/20, e, no campeonato, venceu por 2-0 em Alvalade, com ‘bis’ de Rafa, e por 2-1 em casa, roubando ao Sporting a entrada direta na Liga Europa.

A história do dérbi começou com dois triunfos dos ‘leões’, o primeiro em 01 de dezembro de 1907, por 2-1, face ao ainda Sport Lisboa, no Campo da Quinta Nova, em Carcavelos, onde, segundo as crónicas da altura, os seus jogadores fugiram da chuva e só voltaram obrigados pelo árbitro.

Apesar desse desaire, os ‘encarnados’ ganharam (4-2) o conjunto dos poucos jogos (seis) realizados na primeira década do século XX, assumindo uma superioridade ainda maior na segunda, com 13 triunfos, contra apenas cinco dos ‘leões’.

As ‘águias’ chegaram a ter mais 10 vitórias, só que o Sporting respondeu: foi melhor nas quatro décadas seguintes e no final da temporada 1949/50 já tinha dado a volta ao histórico (56 triunfos, contra 54 do Benfica).

O melhor período do Sporting foi a década de 40, com mais de 50% de vitórias (21, em 40) e 101 golos - recorde em qualquer década -, em pleno reinado dos ‘cinco violinos’ (Peyroteo, Vasques, Albano, Travaços e Jesus Correia).

Depois, o clube da Luz passou a dominar por completo e reinou nas quatro décadas seguintes, sobretudo na de 70, ainda como o ‘Pantera Negra’ Eusébio da Silva Ferreira a ditar leis: 15 triunfos em 27 jogos (55,6%).

O Sporting equilibrou na primeira década do século XXI (oito triunfos para cada lado e outros tantos empates), mas, na segunda, o Benfica foi implacável, com 15 vitórias, contra apenas cinco, e 43 golos marcados, contra 24.

Para já, a terceira década do novo século regista uma vitória para cada lado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.