O Benfica reforçou a liderança da I Liga, colocando-se cinco pontos à frente da concorrência, ao vencer por 3-0 no reduto de um Rio Ave bastante aquém do expectável. Waldschmidt continua a dar provas do bom momento que atravessa, com dois golos na primeira parte, cabendo a Gabriel sentenciar a partida aos 84'.

Com quatro triunfos em quatro jornadas, os ‘encarnados’ somam agora 12 pontos, contra sete de FC Porto, Sporting (menos um jogo) e Santa Clara e seis do SC Braga, enquanto o Rio Ave, que sofreu a primeira derrota da época, mantém-se com três, agora no 15.º lugar.

Jorge Jesus promoveu o regresso de Vertonghen para fazer dupla com Otamendi no eixo da defesa, relegando Jardel para o banco de suplentes. Já Mário Silva fez quatro alterações no onze em comparação com o jogo com o Famalicão: Filipe Augusto entrou para o lugar de Jambor no meio-campo; Piazón, Carlos Mané e Bruno Moreira foram aposta no ataque, por troca com Gabrielzinho, Gelson Dala e André Pereira.

O Benfica atacava mais pelo flanco direito e não precisou de muito tempo para chegar ao golo. Aos 8 minutos, Rafa levantou para a área, Darwin desviou de cabeça para as costas, onde apareceu Everton Cebolinha, a tirar Kieszek da jogada com um toque de calcanhar e a abrir para a finalização potente de Waldschmidt. O alemão soma agora três golos em quatro jogos na I Liga.

O Rio Ave tentou reagir prontamente ao golo e aos 10' Carlos Mané lançou Francisco Geraldes, com este a cruzar rasteiro para Bruno Moreira, que não chegou a tempo do desvio, mas o lance acabou por ser anulado por fora de jogo.

Logo a seguir, uma contrariedade para Jorge Jesus: André Almeida saiu lesionado na sequência de um choque com Carlos Mané, entrando Gilberto para o seu lugar - estreia com a camisola do Benfica.

A equipa de Jorge Jesus dominava através da pressão, forçando o erro do adversário. Foi assim que aos 20' Aderllan perdeu a bola para Waldschmidt, que desta feita serviu para Darwin finalizar. No entanto, o urugaio estava ligeiramente adiantado e o VAR invalidou o lance.

Os encarnados voltariam a marcar por Waldschmidt (29') e novamente o VAR foi chamado a intervir, anulando a jogada por posição irregular do alemão. O ex-Freiburg acabou por chegar ao 'bis' (agora sim a valer) já em cima do intervalo: Darwin Núñez fugiu na esquerda a Ivo Pinto, entrou na área e serviu Waldschimdt para o 2-0.

No segundo tempo, o Benfica reduziu a intensidade e o Rio Ave ganhou mais espaço para se aventurar no ataque. Aos 55' Lucas Piazón recebeu uma bola cabeceada por Tarantini e, na cara de Vlachodimos, não conseguiu bater o grego, que fez muito bem a mancha. Aos 61' foi a vez de Vertonghen, com um grande corte, impedir que o cruzamento de Piazón encontrasse Bruno Moreira. Mário Silva aproveitou o melhor momento dos vilacondenses para lançar Gelson Dala, Pelé e Ronan.

O Rio Ave continuava a ameaçar a baliza de Vlachodimos, enquanto o Benfica procurava uma forma de sentenciar a partida. Aos 68' Darwin caiu na área no duelo com Aderllan e João Pinheiro assinalou grande penalidade. O lance foi reavaliado pelo VAR que anulou a decisão por fora de jogo do uruguaio no início da jogada.

Os 'encarnados' só descansaram quando Gabriel fez o 3-0, aos 84 minutos: cruzamento da direita de Pizzi, Seferovic (rendeu Darwin) cabeceou contra o corpo de Borevkovic e a bola sobrou para Gabriel, que fuzilou as redes do Rio Ave.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.