O árbitro português de futebol mais cotado a nível internacional, Olegário Benquerença, ficou em 19.º lugar na classificação da época 2010/2011 e perderá as insígnias da FIFA se ficar abaixo do 12.º lugar na próxima temporada.

A classificação do juiz leiriense foi a grande surpresa numa tabela encabeçada pelo lisboeta Pedro Proença, que repetiu assim a primeira posição da época anterior, com a pontuação final de 3,803, e que teve três árbitros internacionais, Bruno Paixão, João Capela e Olegário Benquerença em 17.º, 18.º e 19º lugares, respectivamente.

De acordo com o regulamento, um árbitro internacional que obtenha uma classificação abaixo do 12.º lugar dois anos consecutivos perderá as insígnias da FIFA e o consequente estatuto de internacional, risco que impende na próxima época sobre Bruno Paixão, João Capela e Olegário Benquerença.

Entre 25 árbitros do quadro principal, só seis deles ficaram atrás de Olegário Benquerença, que faz parte da elite de árbitros da UEFA, integrando o nível mais elevado, designado por “top class” e que reúne os 40 árbitros mais cotados da Europa.

Pedro Proença também integra o “top class”, mas Olegário Benquerença está há mais anos na elite da arbitragem europeia e Mundial, tendo sido o único português a dirigir jogos do Mundial2010 na África do Sul e é um sério candidato, a par do lisboeta, a ser um dos seleccionados para a fase final do Euro2012 a disputar na Ucrânia e na Polónia.

Na época transacta, o juiz leiriense dirigiu o AC Milan-Manchester United dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

No topo da classificação, realce para o 4.º lugar alcançado por um árbitro que não é internacional, o lisboeta Hugo Miguel, a premiar excelente prestação, quedando-se entre os internacionais Artur Soares Dias (2.º) e Jorge Sousa (3.º), ambos do Porto, e Duarte Gomes (5.º), de Lisboa.

Nos três últimos lugares da classificação ficaram Diogo Santos (23.º), Elmano Santos (24.º) – que atingiu o limite de idade e seria sempre o seu último ano – e Luís Catita (25.º), que descem à II categoria.

Outros dois internacionais, o albicastrense Carlos Xistra e o setubalense João Ferreira, ficaram em 7.º e 8.º lugares respectivamente, com as pontuações de 3,646 e 3,641, respetivamente.

Entre os árbitros assistentes, o primeiro foi Bertino Miranda, com a pontuação de 3,805, seguido de Tiago Trigo (3,733), Ricardo Santos (3,700), Pedro Garcia (3,695), o único não internacional que se intromete nos cinco primeiros, e José Cardinal (3,691).

A classificação dos árbitros, árbitros assistentes e observadores do quadro da primeira categoria foi estabelecida hoje em Plenário do Conselho de Arbitragem da FPF que integra elementos da Comissão de Arbitragem da Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.