O Boavista considerou hoje não haver “quaisquer motivos” para o clube ser impedido de registar novos contratos ou renovar os existentes, em resultado da dívida ao ex-jogador Peter Jehle.

O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) considerou improcedente o recurso apresentado pelo Boavista, mantendo a decisão do despacho de 14 de abril de 2015 que determina o “impedimento de registar novos contratos ou renovar os existentes” até que se mostre cumprida a dívida para com Peter Jehle.

“A decisão do CJ reporta-se à factualidade que ao tempo (há várias semanas) lhe foi colocada. Entretanto, há factos supervenientes, designadamente a Homologação Judicial pelo Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia do Procedimento SIREVE da Boavista SAD, através do qual ficam abrangidos por tal Procedimento todos os credores que não o tenham votado favoravelmente”, argumenta o clube, em comunicado.

No entender do Boavista, “os créditos de todos os credores estão nos termos legais sujeitos a um período de carência de dois anos e meio, não estando como tal neste momento vencidos”.

“Como tal, não há quaisquer motivos para a existência do aludido impedimento”, sublinham.

O clube manifesta-se, apesar disso, disponível para “um entendimento” relativamente a este caso.

“Tendo em atenção a boa-fé e respeito mútuo existente nas negociações respetivas entre esta SAD e o representante do jogador, bem como com o Sindicato de Jogadores, que pretendemos manter, e sem qualquer prejuízo do atrás mencionado, que está assente, estamos disponíveis para um entendimento no relativo a esse assunto”, escrevem.

Em causa está uma dívida de cerca de 40 mil euros por salários devidos ao guarda-redes Peter Jehle, do Liechtenstein, que representou o clube ‘axadrezado’ nas épocas de 2006/07 e 2007/08, e assegurada por uma sentença judicial.

Na primeira época em que representou o Boavista FC, em 2006/07, Peter Karl Jehle esteve na sombra do titular William, primeira escolha do treinador Jaime Pacheco, enquanto na segunda, em 2007/08, já somou 21 jogos no campeonato.

O guarda-redes Peter Karl Jehle, de 33 anos, nasceu em Vaduz, e representou, entre outros, o Schaan (1998/2000), Grasshopper (2000/2006), Boavista (2006/08), Tours (2008/2009) e, presentemente, enverga as cores do clube natal, Vaduz.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.