Dias Ferreira ponderou avançar à presidência do Sporting, mas recuou pelas dificuldades que antevia e que temeu serem inultrapassáveis. Hoje, reconhece que Bruno de Carvalho enfrentou o cenário que o esperava com estoicismo e faz um balanço favorável dos 100 dias de mandato.

«Este foi um período de muitas dificuldades, aquele de que tinha mais receio e que via como mais difícil de ultrapassar. Foi uma fase que o presidente enfrentou com coragem e em que os problemas que neste momento se punham foram ultrapassados. Agora vem o futuro, mas é importante que nesta altura a casa esteja bastante mais arrumada e à medida do que Bruno de Carvalho pretende. Daqui para a frente a avaliação terá de ser outra e onde naturalmente terão uma importância determinante os resultados. Em suma, tem sido um trabalho positivo num período que esteve longe de ser fácil.»

Quanto à reestruturação financeira recentemente aprovada em assembleia-geral, Dias Ferreira considera que era o «plano possível», «um caminho estreito que não deixa margem de manobra».

Os resultados desportivos não são para já uma prioridade segundo Dias Ferreira, que admira o facto de se terem colocado expetativas reais quanto às possibilidades da equipa de futebol para 2013/2014.

«Espero uma época sem grandes sobressaltos, sem grandes tristezas e em que se vá jogando jogo a jogo com determinação, entrega e amor à camisola. Não vale a pena fazer grandes promessas. Numa prova de regularidade é óbvio que será difícil lutarmos ombro a ombro com FC Porto e Benfica, mas pelo menos em vontade acho que podemos fazê-lo», espera Dias Ferreira, que revela ainda a expetativa de que Bruno de Carvalho consiga manter no plantel leonino os jogadores mais valiosos, «os atletas que têm qualidade».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.