Bruno Moreira, avançado do Paços de Ferreira e melhor goleador português na I Liga de futebol, considerou hoje a seleção um sonho difícil de concretizar, reiterando a ambição de representar um clube maior em Portugal ou no estrangeiro.

"Não escondo que a seleção é um sonho, mas não passa muito disso. Não digo que seja impossível, mas não é tão fácil, porque a probabilidade de seres chamado aumenta com a grandeza do clube que representas", disse Bruno Moreira à agência Lusa.

O avançado pacense, de 28 anos, marca há três jornadas consecutivas, o que perfaz nesta altura sete golos, ‘ameaçando’ o registo de 10 tentos na época passada.

"Não tenho uma meta especial de golos, mas quero superar os números da época passada, em que marquei por 10 vezes no campeonato e quatro na Taça de Portugal [soma atualmente sete na I Liga e os mesmos quatro na Taça de Portugal]", sublinhou.

Bruno Moreira, que só anotou mais golos na formação, chegando a ultrapassar os 20 tentos por época no FC Porto, reconheceu que este ano tem estado um pouco mais certeiro, sem especificar se isso tem a ver com as diferenças na conceção do jogo por parte de Paulo Fonseca e Jorge Simão, este mais direto.

"Sempre acreditei no meu valor e as pessoas também acreditam e, para mim, é igual o sistema. Adapto-me bem aos dois e o importante em qualquer caso é quem tens ao teu lado", considerou Bruno Moreira, destacando especialmente os ‘miúdos’ da formação pacense Andrezinho e Diogo Jota.

Para Bruno Monteiro, os 20 pontos conseguidos pelo Paços no fim do primeiro terço do campeonato e o consequente sexto lugar, próximo dos lugares europeus, refletem a "fase boa da equipa", mesmo com algumas oscilações à mistura, resultantes, em sua opinião, de "um plantel totalmente diferente (do da época passada), com muitos jovens".

"Um clube como o Paços luta sempre pela permanência. Atingida esta meta, tentaremos os 48 pontos, que considerámos mais como um desafio aliciante às nossas capacidades", afirmou.

O Sporting de Braga, agora orientado por Paulo Fonseca, é o próximo teste à equipa pacense. Bruno Moreira fala de "um bom reencontro" e promete um Paços a "tentar contrariar as ideias do ‘mister’ Paulo Fonseca", deixando claro que o encontro de segunda-feira em Braga é para "ir buscar pontos".

Em final de contrato, Bruno Moreira não fecha as portas à continuidade no Paços, clube a quem não poupa elogios, apesar de reconhecer que, na qualidade de "jogador ambicioso", a formação duriense não é máximo que pretende para a carreira, sem deixar de admitir que, "nos dias de hoje, o espírito de emigrante tem sempre que existir".

"Há sempre situações para podermos melhorar as nossas vidas e ainda mais quando fazes golos. Mas, por agora, estou focado no Paços, a ‘casa’ que me acolheu, que nunca me falhou e sempre me tratou bem. Tudo vai depender do que aparecer", concluiu, no final de mais um treino de preparação para o jogo de Braga, na segunda-feira, da 14.ª jornada da I Liga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.