O médio Bruno Xadas disse hoje que se a equipa que ocupa a penúltima posição não acreditasse na manutenção na I Liga de futebol não estaria a trabalhar diariamente para devolver o emblema madeirense aos “lugares que merece”.

“Acreditamos [na manutenção], caso contrário não estaríamos aqui a trabalhar todos os dias. É para isso que trabalhamos, para devolver o Marítimo aos lugares que merece”, começou por explicar aos jornalistas, à margem da visita à Escola Básica 2º e 3º Ciclos do Caniço.

O porta-voz do grupo que contou ainda com Stefano Beltrame, André Teles e Joana Silva, que compete na I liga de futebol feminino, admitiu que o plantel principal que disputa o patamar mais alto do futebol português precisava desta pausa, que advém da paragem para dar lugar ao Mundial22.

“Temos vindo a melhorar bastante, mas precisávamos para reforçar o entrosamento da equipa e reforçar as ideias do 'mister' para as coisas começarem a andar direito”, adiantou o médio ofensivo, de 24 anos.

Na I Liga, o Marítimo protagonizou o pior arranque de que há memória, ocupando a penúltima posição, com seis pontos somados à 13.ª jornada, tendo logrado apenas uma vitória, em casa do Paços de Ferreira (1-0), lanterna-vermelha da competição, e três empates.

Quando questionado sobre se a longa paragem não seria negativa para o emblema insular, Bruno Xadas sublinhou que nesse aspeto os jogos da Taça da Liga “vieram em boa hora para reforçar as ideias e chegar ao campeonato na máxima força”.

Na condição de anfitrião, o Marítimo regressa à competição a 01 de dezembro, às 17 horas, diante do Rio Ave, para a fase de grupos da Taça da Liga.

“O que o Marítimo nos pede é que ganhemos todos os jogos. Sabemos que não é possível, uns ganhamos, outros perdemos ou empatamos, mas procuramos sempre vencer”, adiantou o médio ofensivo, lembrando que esta é uma competição “que serve também para evoluir para o campeonato”.

Questionado sobre possíveis interesses de outros clubes, tendo em conta o aproximar da janela de transferências, Bruno Xadas frisou que “essas questões não são importantes”.

“O mais importante é o Marítimo e representá-lo acima de tudo com orgulho, felicidade e muita vontade e quere, para colocá-lo onde merece”, sublinhou.

O médio, que completa a segunda temporada consecutiva como atleta dos ‘leões’ do Almirante Reis, após ter representado meia na época 19/20, cedido a título de empréstimo pelo Sporting de Braga, comentou o percurso da seleção nacional, que garantiu na segunda-feira a presença nos oitavos de final do Mundial2022, ao vencer o Uruguai por 2-0, golos de Bruno Fernandes.

“Tem equipa para ser campeã do mundo, tem selecionador, tem um grupo fantástico com muita qualidade e esperemos que consigamos sorrir no final”, afirmou o jogador internacional pelas seleções jovens de Portugal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.